PUBLICIDADE

Brasil / Política

Bolsonaro destaca riqueza da Amaz√īnia em discurso na ONU

Por Andreia Verdélio
repórter da Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse¬†hoje¬†(24) que a Organiza√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas (ONU) n√£o pode aceitar a volta do colonialismo e defendeu a soberania brasileira na Amaz√īnia. Durante seu discurso na abertura da 74¬™ Assembleia Geral da ONU, em Nova York, nos Estados Unidos, Bolsonaro reafirmou o compromisso do pa√≠s com a preserva√ß√£o do meio ambiente e com o desenvolvimento sustent√°vel da regi√£o.

‚ÄúO Brasil √© um dos pa√≠ses mais ricos em biodiversidade e riquezas minerais, nossa Amaz√īnia √© maior que toda Europa Ocidental e permanece praticamente intocada, prova de que somos um dos pa√≠ses que mais protege o meio ambiente‚ÄĚ, disse ele aos chefes de Estado.

Cerca de 14% do territ√≥rio brasileiro √© demarcado como terra ind√≠genas e Bolsonaro destacou que n√£o pretende demarcar novos territ√≥rios.¬†“Quero deixar claro: o Brasil n√£o vai aumentar para 20% sua √°rea j√° demarcada como terra ind√≠gena, como alguns chefes de Estados gostariam que acontecesse”, afirmou.¬†‚ÄúO √≠ndio n√£o quer ser latifundi√°rio pobre em cima de terras ricas. Especialmente das terras mais ricas do mundo. √Č o caso das reservas Ianom√Ęmi e Raposa Serra do Sol. Nessas reservas, existe grande abund√Ęncia de ouro, diamante, ur√Ęnio, ni√≥bio e terras raras, entre outros‚ÄĚ, disse, destacando que o Brasil usa 8% de seu territ√≥rio para produ√ß√£o de alimentos.

O presidente brasileiro defendeu uma pol√≠tica de toler√Ęncia zero com a criminalidade, incluindo os crimes ambientais, e ressaltou que os inc√™ndios que vem ocorrendo na Amaz√īnia nos √ļltimos meses s√£o caracter√≠sticos dessa √©poca do ano, de seca e ventos. Bolsonaro criticou a m√≠dia internacional pela repercuss√£o negativa que as queimadas tiveram pelo mundo e a possibilidade de os pa√≠ses aplicarem san√ß√Ķes econ√īmicas ao Brasil.

‚Äú√Č uma fal√°cia dizer que a Amaz√īnia √© patrim√īnio da humanidade e um equ√≠voco, como atestam os cientistas, afirmar que a nossa floresta √© o pulm√£o do mundo. Valendo-se dessas fal√°cias, um ou outro pa√≠s, em vez de ajudar, embarcou nas mentiras da m√≠dia e se portou de forma desrespeitosa, com esp√≠rito colonialista. Questionaram aquilo que nos √© mais sagrado: a nossa soberania!‚ÄĚ, disse.

Bolsonaro leu uma carta que, segundo ele, foi encaminhada aos chefes de Estado por um grupo de agricultores ind√≠genas do Brasil, formado por 52 etnias que habitam uma √°rea de mais de 30 milh√Ķes de hectares no territ√≥rio brasileiro. Na carta, eles apoiam a representa√ß√£o da ind√≠gena Ysani Kalapalo, moradora de uma aldeia no Parque Ind√≠gena do Xingu, no Mato Grosso, que integra a delega√ß√£o brasileira na Assembleia Geral da ONU.

‚ÄúExistem, no Brasil, 225 povos ind√≠genas, al√©m de refer√™ncias de 70 tribos vivendo em locais isolados. Cada povo ou tribo com seu cacique, sua cultura, suas tradi√ß√Ķes, seus costumes e principalmente sua forma de ver o mundo. A vis√£o de um l√≠der ind√≠gena n√£o representa a de todos os √≠ndios brasileiros‚ÄĚ, disse Bolsonaro, argumentando que, muitas vezes, alguns desses l√≠deres, como o cacique Raoni, s√£o ‚Äúusados como pe√ßa de manobra por governos estrangeiros na sua guerra informacional para avan√ßar seus interesses na Amaz√īnia‚ÄĚ.

Raoni Metuktire √© um l√≠der ind√≠gena brasileiro da etnia caiap√≥, conhecido internacionalmente por¬†sua atua√ß√£o na¬†Amaz√īnia. ‚ÄúIsso demonstra que os que nos atacam n√£o est√£o preocupados com os √≠ndios, mas sim com as riquezas minerais e biodiversidade existentes nessa √°rea‚ÄĚ, ressaltou. ‚ÄúAcabou o monop√≥lio do Senhor Raoni. A Organiza√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas teve papel fundamental na supera√ß√£o do colonialismo e n√£o pode aceitar que essa mentalidade regresse a estas salas e corredores, sob qualquer pretexto.”

Bolsonaro disse ainda que qualquer iniciativa de ajuda ou apoio √† preserva√ß√£o da floresta amaz√īnica ou de outros biomas deve ser tratada com pleno respeito √† soberania brasileira e que busca parcerias para agregar valor de forma sustent√°vel √†s riquezas brasileiras. O presidente tamb√©m recha√ßou as tentativas de instrumentalizar a quest√£o ambiental ou a pol√≠tica indigenista em prol de interesses pol√≠ticos e econ√īmicos externos, ‚Äúem especial os disfar√ßados de boas inten√ß√Ķes‚ÄĚ.