COLUNASMAIS SAÚDE

Constipação intestinal

A constipação intestinal é uma condição bastante presente no mundo e refere-se à dificuldade de evacuação. A constipação pode ser resultado de outras doenças ou do uso de medicamentos, além de poder ser mais presente em idosos e crianças devido à condição específica de cada um. Em idosos, fatores alimentares, sedentarismo ou menor teor de água no corpo são as causas mais comuns. Em crianças, a principal causa é a retenção voluntária das fezes, ou seja, a negação em defecar, seja por dor ou por distração.

Entende-se como adequada a defecação que ocorre sem esforço intenso na maioria das vezes. As fezes devem ser pastosas e formadas, e após a defecação há de se ter a sensação de esvaziamento do intestino. Não pode haver dor ou sangramento e deve acontecer mais de três vezes por semana. Tudo isso deve ocorrer sem nenhum tipo de manipulação ou medicação. Considera constipação a situação inversa ao apresentado.

Não havendo causa primária, como doenças ou uso de medicação, todas as pessoas são capazes de defecar naturalmente. Muitas vezes é necessário educar o intestino. Idealmente, deve-se manter a defecação como rotina, mesmo que aparentemente não se esteja com vontade. Os melhores horários para defecar são os após às refeições, qualquer uma delas. Isso porque o ato de ingerir alimentos cria um reflexo no intestino induzindo a atividade peristáltica (movimentos próprios para defecação). As crianças devem ser estimuladas a ficar entre cinco e dez minutos sentados no vaso sanitário, sem distrações.

Além disso, é fundamental uma alimentação balanceada, com a ingestão de grãos integrais, frutas e legumes. Também é muito importante manter-se hidratado, bebendo-se adequadamente água. O sedentarismo contribui para a constipação, tanto em crianças, adultos e idosos. O caminhar ajuda no peristaltismo intestinal e na eliminação das fezes.

Quando crônica, a constipação deve ter avaliação médica porque sua condição pode comprometer ao ponto de as fezes endurecerem muito e obstruírem fisicamente o intestino. O uso de medicação laxante é contraindicado por suas reações adversas. Nos EUA, desde 2012, alguns novos medicamentos para a constipação funcional têm sido lançados. O mais recente foi aprovado pela FDA em 2017. Dentre os disponíveis, o polietilenoglicol é a substância mais segura e eficaz, mas seu uso tem de ser em conjunto com as mudanças para um estilo de vida mais saudável na alimentação e na atividade física.

Se ainda tiver dúvidas, encaminhe-as para o Centro de Informações sobre Medicamentos (CIM) do curso de Farmácia da UniSantos. O contato pode ser pelo e-mail cim@unisantos.br ou por carta endereçada ao CIM, avenida Conselheiro Nébias, 300, 11015-002.

saiba antes via instagram @revistamaissantos