COLUNASMAIS SAÚDE

Descansar é preciso!

Por Paulo Angelo Lorandi

O ser humano, como ser cultural que é, esquece que é um animal e que seu corpo foi constituído a partir dessa premissa. Como ser cultural, houve o domínio da escuridão e a noite passou a ser vivida tão ou mais intensamente do que o dia. A sociedade industrial estimula o consumo e abre múltiplas possibilidades de usufruir da evolução. Trabalhos e diversão noturnos não faltam e um dia parece ser insuficiente para tantas possibilidades.

Insistindo, nosso corpo é a de um animal e precisa descansar para recuperar suas funções biológicas e psíquicas. Nosso corpo funciona regulado por hormônios e funções nervosas. Alguns dos hormônios tem sua secreção pela percepção sensorial do corpo referente ao claro e escuro. Em alguns momentos do dia precisamos de escuro absoluto para dormir e descansar. Nessa condição, o hormônio melatonina estaria em alta para facilitar o repouso.

Do mesmo modo, outros hormônios como o cortisol tem um ritmo diário de concentração no sangue influenciado pelo horário do dia: mais pela manhã, reduzindo à noite. Isso significa que deveríamos respeitar o ritmo biológico. Do mesmo modo, nosso corpo está preparado para a condição do estresse, que faz parte da condição de vida, desde que haja momentos de recuperação e relaxamento. Para isso, há duas estruturas nervosas diferentes que se controlam e se complementam tanto na atividade, quanto no repouso.

Descansar faz parte da vida. É condição indispensável. Culturalmente, como forma de reação, a sociedade criou o movimento slow em todas as áreas seja na alimentação, no cotidiano, nos passeios, na vida como um todo, enfim. Trabalhar menos, viver mais. Mas acima de tudo viver com mais qualidade. Há quem discuta se ócio, tempo livre e lazer são as mesmas coisas. Tempo livre, mas do quê? Para fazer o quê?

Um autor italiano defende a importância do “ócio criativo”. Ideia incorporada pelo meio produtivo como sendo um tempo de refazimento para que possa produzir mais. Assim, poderíamos pensar se ócio criativo seria um tempo livre. O ser terá um tempo para si, porém terá de “repô-lo” posteriormente. O ócio criativo cobra sobre o “tempo livre” para lazer.

O nosso corpo não aguenta tanta cobrança, é preciso que o descanso ocorre sem sensação de culpa. É um direito do ser humano pois faz parte da condição biológica do ser humano. É necessário para a recuperação muscular, por exemplo, bastante estudada pelos esportistas, assim como para nos mantermos em equilíbrio psíquico, como diz a psicologia.

Centro de Informações sobre Medicamentos (CIM), do curso de Farmácia da Unisantos, está disponível para solucionar suas dúvidas. O contato pode ser pelo e-mail cim@unisantos.br

Prof. Dr Paulo Angelo Lorandi, farmacêutico pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas-USP (1981), especialista em Homeopatia pelo IHFL (1983) e em Saúde Coletiva pela Unisantos (1997), mestre (1997) e doutor (2002) em Educação (Currículo) pela PUCSP. Professor titular da UniSantos. Sócio proprietário da Farmácia Homeopática Dracena.


Para conferir mais posts da Coluna Mais Saúde, clique aqui.

Foto: Pixabay

saiba antes via instagram @revistamaissantos