Gastronomia

Basquete Memorial/Fupes encerra preparação para fase final do Paulista

A equipe de basquete masculino Memorial/Fupes encerrou nesta quarta (31) a preparação para seu novo desafio, a Final Four do Campeonato Paulista série A-2, da Federação Paulista de Basquete. Por ter melhor campanha, o time de Casa Branca recebe a fase decisiva da competição, que será realizada na quinta (1º) e sexta (2), no Ginásio ACCPE Evaldo Rui Monteiro.

Na quinta, abrem a rodada o Memorial/Fupes, segundo na fase de classificação, e Conti-Cola/Assis Basket, o terceiro. Na sequência, se enfrentam Inifae/DET/Casa Branca e o quarto colocado, Instituto Brazolin/São Bernardo. Na sexta (2) os perdedores decidem o terceiro lugar, enquanto os ganhadores definem o título.

O técnico Sidnei Oliveira, Sidão, está confiante. “Estamos preparados, o time evoluiu muito na defesa, no ataque já vínhamos bem. Os nossos jogadores são todos da região, dos 12, apenas três são bem experientes, os demais todos jovens. A mescla deu certo, mesmo com pouca idade já tem participado de jogos decisivos, estão preparados para vencer”.

Entre os veteranos, o capitão Cauê Rico, armador do time. “Estou com 36 anos e defendo Santos desde os 17, é sempre um prazer chegar nas decisões. Sabemos que não será fácil, mas vencemos Assis e São Bernardo duas vezes. Em relação a Casa Branca, fizemos jogos equilibrados, podemos ganhar, a pressão na equipe da casa sempre é muito grande”

 

NOVA GERAÇÃO

A nova geração do basquete santista tem correspondido. No domingo (28), levou o título Campeonato Paulista serie B, da Liga Paulista. A campanha foi perfeita (vitória nos 12 jogos). Em julho, conquistou o segundo lugar nos Jogos Regionais, em Santo André. Ainda neste mês, participa dos Jogos Abertos, em São Carlos.

Um dos destaques é Rafael Ceguinho, 24 anos, que na Liga Paulista teve a melhor média de pontos da competição. “Embora as quatro equipes sejam semelhantes, sabemos que, se nos entregarmos, temos totais condições de sermos campeões. Os jogadores experientes, como o Cauê Rico, Sylvio Ortiz e Guilherme Rojas, são importantes dentro e fora da quadra, me ajudam a evoluir”.

Foto: Francisco Arrais

saiba antes via instagram @revistamaissantos