MAIS SAÚDE

Rins saudáveis

Todos os órgãos do nosso corpo são importantes porque, caso contrário, simplesmente eles não existiriam. Porém, cada um tem um grau de importância diferente, de acordo com a função que desempenham ou o número em que estão presentes. Como os rins, são fundamentais para a vida, mas ao perder um deles, ainda somos capazes de sobreviver.

Os rins têm várias funções. As mais óbvias são a manutenção da quantidade de água no corpo e a eliminação dos metabólitos, que são as substâncias produzidas pelos diversos órgãos depois de se apropriarem dos nutrientes. A eliminação desses metabólitos é importante, pois o seu acúmulo pode trazer comprometimento à vida. Por exemplo, é preciso eliminar ureia (substância derivada das proteínas), ácido úrico (derivada das purinas presentes em diversos alimentos) e creatinina (produzida dos músculos).

A perda da função renal é normal conforme envelhecemos. Aos 70 anos, a função renal já caiu pela metade, mas mesmo assim ainda é possível manter o corpo saudável. O rim se torna mais suscetível às doenças crônicas, como hipertensão e diabetes. Essas doenças podem causar sérias lesões renais que somente serão percebidas quando o processo já estiver avançado. A doença renal tende a ser silenciosa, por isso o acompanhamento médico é fundamental. Mas um estilo de vida saudável pode manter os rins saudáveis.

O primeiro passo é manter a pressão arterial e a glicemia dentro de padrões aceitáveis. Além disso, é preciso reduzir a ingestão de sal, beber bastante água e não a substituir por refrigerantes, não comer carnes em excesso e tomar anti-inflamatórios e analgésicos (AAS, ibuprofeno, paracetamol, etc.) apenas quando necessários.

Estima-se que entre três e seis milhões de brasileiros tenham problemas renais em diversos níveis de gravidade. E pacientes muito graves terão de receber tratamento especializado (diálise), de alto custo que compromete a qualidade de vida. Atualmente, cerca de 100 mil pacientes recebem esse tipo de tratamento. A doença renal crônica é progressiva.

Alguns desses sintomas evidenciam um sinal de avanço da doença, como edema (inchaço) nos pés e pernas, sangue na urina ou há a produção de muita espuma ao urinar. É possível que a doença renal produza dores e vontades constantes de urinar. Os rins, além de controlar a quantidade de água e de metabólitos no organismo, também estimula a produção de glóbulos vermelhos quando necessário. Assim, o doente renal crônico também poderá apresentar anemia, tornando-se pálido e sem disposição. Seja saudável! Viva bem!

saiba antes via instagram @revistamaissantos