PUBLICIDADE

- INVIS√ćVEL -

Novo estudo apresentado na ESMO prop√Ķe amplia√ß√£o da vacina√ß√£o anti- HPV

Meninos, homens e mulheres em idades avan√ßadas est√£o no centro das discuss√Ķes

No Brasil, o Minist√©rio da Sa√ļde ampliou a indica√ß√£o da vacina anti-HPV (V√≠rus do Papiloma Humano) – associado √†s verrugas genitais e diversos tipos de c√Ęncer como o de colo de √ļtero, √Ęnus, p√™nis, vulva e orofaringe – para meninos de at√© 15 anos. A imuniza√ß√£o era oferecida somente para meninas.

Apesar da redu√ß√£o das taxas de c√Ęncer do colo do √ļtero ser o principal objetivo dos¬†programas de vacina√ß√£o contra o papilomav√≠rus humano (HPV)-¬† com foco em meninas de 12 a 14 anos -, h√° um efeito indireto na preval√™ncia de verrugas genitais, causadas principalmente pelos tipos 6 e 11 do HPV, aumentando o debate sobre os benef√≠cios da amplia√ß√£o dos programas de vacina√ß√£o para mais grupos de idade e sexo. Um novo estudo apresentado pelo Prof. Jack Cuzick, da Queen Mary University of Londres, Reino Unido, na ESMO, European Society for Medical Oncology, evento que aconteceu entre os dias 27 de setembro e 01 de outubro, demonstra que a vacina√ß√£o em meninos ajuda a reduzir a incid√™ncia de infec√ß√Ķes e, indiretamente, aumenta a prote√ß√£o das meninas. Dados atuais colhidos em pa√≠ses com programas de triagem cervical bem desenvolvidos mostram que o c√Ęncer de orofaringe nos homens na faixa dos 50 e 60 anos √© hoje mais comum do que o c√Ęncer de colo de √ļtero nas mulheres e a vacina√ß√£o de meninos em idade escolar pode ajudar a reduzi-los.

A vacina√ß√£o de homens, mesmo com idade superior a 45 anos, pode ter um efeito preventivo, por√©m ainda requer estudos adicionais para ser implementada em grande escala. A preven√ß√£o para mulheres mais velhas tamb√©m faz parte do debate.¬†Embora a vacina n√£o previna o HPV que j√° causou infec√ß√£o, h√° evid√™ncias – em mulheres de at√© 45 anos – de que ela forne√ßa prote√ß√£o contra infec√ß√Ķes para um tipo diferente de HPV e melhore a imunidade para novas infec√ß√Ķes.

¬†‚ÄúO estudo demonstrou que em pa√≠ses como o Reino Unido, que realiza vacina√ß√£o em mais de 90 % da popula√ß√£o alvo, possui grande redu√ß√£o de risco de doen√ßa. A vacina√ß√£o das jovens pr√©-adolescentes, adolescentes e dos meninos √© de extrema import√Ęncia, pois essa faixa et√°ria apresenta uma melhor resposta imunol√≥gica √† vacina anti-HPV‚ÄĚ, diz a Dra. Maria Del Pilar Estevez Diz, m√©dica associada da Cl√≠nica Onco Star e Membro Titular da Oncologia D‚ÄôOr.

A vacina√ß√£o est√° sendo estendida aos meninos em muitos pa√≠ses, mas, para acelerar seu impacto nos casos de c√Ęncer em homens e mulheres em um futuro pr√≥ximo, a vacina√ß√£o tamb√©m precisar√° ser oferecida em idades mais avan√ßadas.

‚ÄúApesar de existirem algumas evid√™ncias de que adultos t√™m uma resposta imunol√≥gica baixa √† vacina, o estudo realizado com mulheres que foram expostas ao HPV, mostra que as pacientes conseguem ter uma resposta imunol√≥gica maior √† vacina e, portanto, ela poderia ser eficiente‚ÄĚ, conclui.

¬†A equipe de m√©dicos brasileiros da Oncologia D‚ÄôOr (Rede D‚ÄôOr S√£o Luiz) est√° acompanhando de perto as novidades da ESMO, European Society for Medical Oncology. O evento √© palco para a excel√™ncia em pesquisa translacional e apresenta√ß√£o de dados que mudam as pr√°ticas e discuss√Ķes multidisciplinares ao redor do mundo.