PUBLICIDADE

viagem

Demanda global de passageiros cresce 5% em junho

Segundo informa√ß√Ķes divulgadas pela Associa√ß√£o Internacional de Transporte A√©reo (Iata), a demanda global de passageiros, medida em RPK, aumentou 5% no m√™s de junho. A capacidade, medida em ASK, teve alta de 3,3% e a taxa de ocupa√ß√£o aumentou 1,4 ponto percentual para 84,4%, um recorde para o m√™s de junho.

‚ÄúJunho continuou a tend√™ncia de crescimento s√≥lido da demanda de passageiros, enquanto o fator de carga recorde mostra que as companhias a√©reas est√£o maximizando a efici√™ncia. Em meio a cont√≠nuas tens√Ķes comerciais entre os Estados Unidos e a China e a crescente incerteza econ√īmica em outras regi√Ķes, o crescimento n√£o era t√£o forte quanto h√° um ano‚ÄĚ, afirma o diretor-geral e CEO da Iata, Alexandre de Juniac.

Mercados Internacionais

A demanda internacional de passageiros em junho subiu 5,4% em rela√ß√£o a junho de 2018, o que representa uma melhora em rela√ß√£o ao crescimento anual de 4,6% registrado em maio. Todas as regi√Ķes registraram aumentos no crescimento, liderados pelas companhias a√©reas na √Āfrica. A capacidade cresceu 3,4% e a taxa de ocupa√ß√£o subiu 1,6 pontos percentuais, para 83,8%.

As companhias a√©reas europeias viram o tr√°fego aumentar 5,6% em junho em compara√ß√£o a junho de 2018, em linha com o crescimento de demanda de 5,5% no m√™s anterior. A capacidade subiu 4,5% e o fator de ocupa√ß√£o subiu 1% para 87,9%, empatado com a Am√©rica do Norte como o maior entre as regi√Ķes. O s√≥lido crescimento ocorreu em um cen√°rio de desacelera√ß√£o da atividade econ√īmica e decl√≠nio da confian√ßa das empresas na √°rea do euro e no Reino Unido.

A demanda das operadoras norte-americanas subiu 3,5% em rela√ß√£o a junho do ano passado, abaixo do crescimento anual de 5% em maio, refletindo similarmente as tens√Ķes comerciais entre Estados Unidos e China. A capacidade subiu 2%, com o fator de carga aumentando 1,3 ponto percentual, para 87,9%.

J√° as companhias a√©reas da Am√©rica Latina experimentaram um aumento de 5,8% no tr√°fego em compara√ß√£o com o mesmo m√™s do ano anterior, um pouco acima do crescimento anual de 5,6% registrado em maio. A capacidade aumentou 2,5% e o fator de carga subiu 2,6 pontos percentuais, para 84%. O enfraquecimento das condi√ß√Ķes econ√īmicas em v√°rios pa√≠ses-chave da regi√£o pode significar um abrandamento da demanda no futuro.

O tr√°fego das companhias a√©reas africanas subiu 11,7% em junho, ante 5,1% em maio. A capacidade aumentou 7,7% e a taxa de ocupa√ß√£o saltou 2,6 pontos percentuais para 70,5%. A demanda est√° se beneficiando de um cen√°rio econ√īmico geralmente favor√°vel, incluindo a melhoria da estabilidade econ√īmica em v√°rios pa√≠ses, bem como o aumento da conectividade a√©rea.

Mercados Domésticos

Demanda por viagens dom√©sticas subiu 4,4% em junho em rela√ß√£o a junho de 2018, uma pequena desacelera√ß√£o em rela√ß√£o ao crescimento anual de 4,7% registrado em maio. Liderados pela R√ļssia, todos os principais mercados dom√©sticos rastreados pela Iata relataram aumentos de tr√°fego, exceto o Brasil e a Austr√°lia. A capacidade em junho subiu 3,1% e a taxa de ocupa√ß√£o subiu 1,1 ponto percentual, para 85,5%.

O tr√°fego dom√©stico no Brasil caiu 5,7% em junho, o que piorou em rela√ß√£o √† queda de 2,7% registrada em maio. A queda acentuada reflete, em grande parte, a proibi√ß√£o das opera√ß√Ķes da quarta maior operadora do Pa√≠s, a Avianca Brasil, que tinha cerca de 14% de participa√ß√£o de mercado em 2018.