4.2 // TURISMO 

A nova edição da Pesquisa Conjuntural de Viagens Corporativas (PCVC) foi apresentada pela ALAGEV, em parceria com Mariana Aldrigui, professora e pesquisadora da Universidade de São Paulo. O estudo trouxe o faturamento do setor de viagens corporativas para o mês de julho, que alcançou R$ 4,5 bilhões de reais, alta de 7% quando comparado ao mesmo período de 2018. A pesquisa ainda revela um acumulado de R$ 41,5 bilhões de janeiro a julho, o que registra um crescimento 4,9% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O setor de viagens corporativas segue num ritmo de expansão desde agosto do ano passado com o faturamento do mês de julho no mais alto patamar para o mês, desde 2014 e próximo da máxima histórica que foi em 2013 com 4,8 bilhões.

O diretor executivo da empresa, Eduardo Murad, reforça a potência desse segmento para o desenvolvimento econômico do país e do setor de turismo. “As viagens corporativas geram um fluxo econômico bastante relevante para a cadeia turística como um todo. Este mercado é sensível a fatores externos e às políticas econômicas que refletem na variação do setor. Contudo, seguimos em ritmo de crescimento e perspectivas positivas”, afirma o executivo.

A greve dos caminhoneiros, ocorrida em 2018, torna a base de comparação mais suscetível, uma vez que teve um grande impacto no resultados econômicos dos meses de maio e junho do ano passado.  Contudo, a performance do segmento tem apresentado um desempenho acima do ritmo dos períodos anteriores, com uma variação média de 7,6%.

Dado relevante apurado pela pesquisa é a comparação com os outros setores da economia. As viagens corporativas estão com um desempenho, em termos de variação acumulada em 12 meses, mais favorável. Enquanto o PCVC mostra uma alta de 4,3%, o comércio cresce 4,1%, o setor de turismo como um todo 3,8%, os Serviços com 0,9% e a indústria que está no campo negativo com -1,3%.

O ano de 2019 para o setor de viagens corporativas tem sido positivo. Houve uma relativa melhora do quadro econômico e os empresários estão com expectativas mais positivas para o futuro, o que tende a aumentar o nível de investimentos e gastos. Com o andamento da agenda de reformas e medidas de estímulo ao crescimento, a tendência deve ser de continuidade deste processo registrado pelo PCVC.

O levantamento foi feito a partir de dados das pesquisas anual e mensal de serviços, do IBGE, englobando os setores de alimentação, alojamento, locação de veículos, transportes aéreo e rodoviário, agências de viagens e eventos culturais e recreativos. Foram feitos tratamentos

saiba antes via instagram @revistamaissantos