4.2 // TURISMO 

Segundo pesquisa recente realizada pela CWT, empresa de gestão de viagens B2B4E (Business to Business for Employees), a grande maioria dos cancelamentos de viagens corporativas foge do controle dos viajantes.

Na pesquisa, 42% dos entrevistados relatam que o principal motivo para os cancelamentos é o reagendamento de compromissos. Outras são o cancelamento de reuniões (13%), condições climáticas adversas (11%), preocupação com a segurança (9%) e cancelamento/atraso de voos (9%). Motivos pessoais afetam 14% dos cancelamentos.

“A pesquisa ainda revelou que 88% das viagens canceladas são reagendadas para uma data posterior”, diz Amit Wurgaft, CWT’s Chief Experience Officer, Digital. “E 38% desses reagendamentos são feitos imediatamente após o cancelamento da viagem inicialmente marcada”, completa.

Outro dado da pesquisa aponta que 68% dos viajantes não cancelam toda a viagem ao mesmo tempo. Dos entrevistados, 45% cancelam os voos antes dos hotéis e 22% optam por começar pelas acomodações antes de cancelar as passagens aéreas.

Políticas de cancelamento e possíveis cobranças

Quando se trata de políticas de cancelamento e possíveis cobranças, a pesquisa revela que 85% dos viajantes prefere saber as taxas antes de iniciar ou durante o processo de cancelamento.

Entre as preocupações dos viajantes corporativos, 37% alegaram que as políticas de cancelamento e taxas precisam ser mais claras e 20% esperam um acesso mais fácil.

Quando perguntados quais aspectos eles melhorariam no processo de cancelamento, esses dois fatores estão no topo da lista, seguidos da diminuição do tempo necessário para confirmar todas as informações para cancelar a viagem (22%), redução das etapas obrigatórias para concluir o processo (10%) e criação de um método rápido para cancelar viagens pelos smartphones (10%).

saiba antes via instagram @revistamaissantos