Mundo 

Medida entrará em vigor em 1º de setembro e afeta produtos chineses que ainda não haviam sido alvo de ação similar dos americanos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou hoje a imposição de uma tarifa de 10% sobre US$ 300 bilhões em produtos da China. Segundo Trump, a medida entrará em vigor em 1º de setembro e afeta os US$ 300 bilhões de produtos chineses que ainda não haviam sido alvo de ação similar dos americanos.

Pelo Twitter, Trump disse que uma comitiva americana acabou de retornar da China, onde teve “conversas construtivas” relativas a um acordo comercial futuro.

“Nós pensamos que faríamos um acordo com a China há três meses, mas, infelizmente, a China decidiu renegociar o acordo antes de assiná-lo”, criticou. “Mais recentemente, a China concordou em comprar produtos agrícolas dos EUA em grandes quantidades, mas não fizeram isso”, acrescentou.

Donald J. Trump

@realDonaldTrump

Respondendo a @realDonaldTrump

…during the talks the U.S. will start, on September 1st, putting a small additional Tariff of 10% on the remaining 300 Billion Dollars of goods and products coming from China into our Country. This does not include the 250 Billion Dollars already Tariffed at 25%…

Donald J. Trump

@realDonaldTrump

…We look forward to continuing our positive dialogue with China on a comprehensive Trade Deal, and feel that the future between our two countries will be a very bright one!

Trump ainda comentou o fato de que o presidente da China, Xi Jinping, teria anunciado a interrupção da venda do medicamento Fentanyl aos EUA, usado para a dor, mas que causa dependência.

Mas o presidente americano criticou que isso ainda não ocorreu, enquanto isso “muitos americanos continuam a morrer”.

As conversas sobre o comércio bilateral continuam, segundo Trump mas enquanto isso ele decidiu pela nova tarifa. Ela não inclui os US$ 250 bilhões em produtos chineses já tarifados em 25%, explicou.

“Nós estamos ansiosos para prosseguir com nosso diálogo positivo com a China sobre um acordo comercial abrangente e sinto que o futuro entre nossos dois países será brilhante”, comentou Trump.

Por: Estadão Conteúdo

saiba antes via instagram @revistamaissantos