Porto 

Porto terá capacidade de escoar 2 milhões de toneladas de grãos

 

O município de Porto Murtinho contará a partir do próximo mês com mais um terminal portuário.Será inaugurado em 24 de fevereiro, o novo terminal de cargas no município da FV Cereais deve exportar cerca de 2 milhões de toneladas de soja e milho por ano. O anúncio foi feito na abertura do Showtec 2020 pelo governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja. Ele confirmou o início das atividades do novo terminal e o início das exportações para o final de fevereiro.

Dois grandes empreendimentos privados estão brotando no solo murtinhense. Um dos novos portos, o da FV Cereais que inicia operações no próximo mês terá um terminal para estacionamento de rodotrens, no km 679 da BR-267, com com espaço para 400 veículos.
Um dos maiores exportadores do Estado (1,2 milhão de toneladas/ano de soja e milho), a FV Cereais, com sede em Dourados, investiu R$ 110 milhões no terminal, que terá capacidade para movimentar dois milhões de toneladas/ano de grãos e açúcar.

O grupo também vai importar fertilizantes do Uruguai, de onde já embarcou uma carga experimental de duas mil toneladas em 2018, com valor 8% mais barato em relação ao custo de transporte via Porto de Paranaguá.O terminal contará com um armazém graneleiro para 30 mil toneladas.

Do outro lado da cidade, o grupo Mécari Distribuidora investe R$ 16 milhões na construção da estação para regular o fluxo de cargas para os terminais portuários, com previsão de dobrar a capacidade de veículos a médio prazo. A estrutura vai dispor de hotel com 120 leitos, minishopping e posto de combustível.

Nova Paranaguá – Rota de escoamento da produção que vem ganhando cada vez mais força, Porto Murtinho vive um boom econômico, recebendo obras governamentais e atraindo investimentos privados. O município é peça-chave para tornar realidade a integração física e comercial Atlântico-Pacífico.

“Vamos focar na hidrovia neste ano, com ampliação do escoamento de produtos. Agora MS ganha mais um espaço de logística que é a hidrovia, que além do minério exportará agora os grãos fomentando este importante corredor econômico”, frisou o secretário de Produção Jaime Verruck.

Ele destaca que atualmente em termos de capacidade o porto da APPM que já existe no município escoa 200 toneladas por hora e este novo será de 1000 toneladas/hora. “A estimativa do governo para 2020 e de escoar 2 milhões de toneladas, 22% da safra de soja estimada. Temos que resolver ainda a questão de certificação fitossanitária para exportar milho. No ano passado já entrou 3 mil toneladas de fertilizantes, isso deve aumentar”, finalizou.

 

 

Fonte: Porto e Notícias

 

 

saiba antes via instagram @revistamaissantos