9.0 // DA REDAÇÃO 

Da redação

O corpo de Rubens Ewald Filho, crítico de cinema e jornalista, está sendo velado na Cinemateca Brasileira. A instituição, que fica no bairro Vila Clementino em São Paulo, é responsável por perseverar a produção audiovisual brasileira.

O velório acontece até às 15 horas e o sepultamento será às 16 horas no Cemitério dos Protestantes também na capital paulista.

Santista de nascimento, ele morreu na tarde desta quarta-feira (19), aos 74 anos. Ewald Filho estava internado desde o dia 23 de maio, no Hospital Samaritano de São Paulo, depois de desmaiar após uma arritmia cardíaca.

Carreira

O início da carreira foi no Jornal A Tribuna. Depois trabalhou no Jornal da Tarde, no Estado de São Paulo e como colaborador da Revista Veja. Nos anos 1970, se dedicou ao cinema como ator e roteirista. Teve uma atuação no filme As Gatinhas (1970).

Foi escritor lançando o livro Dicionário de Cineastas, obra que até hoje é referência no ramo. Em telenovelas participou de produções como Éramos Seis (1977), Gina (1978) e Drácula, uma História de Amor (1980). Sua última novela foi Iaiá Garcia, na TV Cultura (1982).

Rubens trabalhou na direção de programação e produção da HBO Brasil. Apresentou programas na TV Cultura, Record TV, Band e TNT (canal pago). Comentou cerimônias do Oscar pela Rede Globo, SBT e TNT.

saiba antes via instagram @revistamaissantos