REGIÃO 

Da Redação

Um paciente deu entrada com suspeita de coronavírus na manhã desta quinta-feira (27), no Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande. Segundo a Prefeitura da cidade, trata-se de um homem de 21 anos, que reside em São Paulo e está hospedado na casa da mãe, no município litorâneo. Ele foi medicado com uso de Tamiflu e encaminhado para isolamento domiciliar.

De acordo com informações colhidas pela equipe médica, o rapaz realizou intercâmbio na Itália há seis meses e chegou ao Brasil na última terça-feira, dia 25. O quadro apresentado quando deu entrada na unidade hospitalar foi de tosse secretiva, dor de garganta e desconforto respiratório.

Todos os protocolos de atendimento foram cumpridos. Amostra de swab nasofaringe e orofaringe já foram enviadas para análise no laboratório do Instituto Adolfo Lutz, referência estadual neste tipo de situação. A Secretaria de Saúde Pública (Sesap) de Praia Grande aguarda o retorno dos resultados, que deverá ocorrer nos próximos dias. As equipes da Cidade seguem monitorando o paciente.

A Secretaria de Saúde de Praia Grande (Sesap) informa ainda que a avó deste homem também regressou ao Brasil na mesma data e está internada em São Paulo, no Incor. O caso também é considerado suspeito.

Outros casos na região

Três moradores de Praia Grande com suspeita da doença foram atendidos em dois hospitais particulares de Santos. Um dos casos é de uma jovem de 20 anos, que esteve na Itália e outras partes da Europa entre 19 de janeiro e 24 de fevereiro, e os outros dois referentes a um casal que passou pelo Egito e Itália entre 5 e 22 de fevereiro.

A jovem, de 20 anos, apresentou sintomas similares da doença (febre, tosse, dor de garganta e de cabeça e alteração respiratória). Na consulta, o sintoma apresentando era de falta de ar, não tendo indicação de internação e recebendo recomendação médica para uso de máscara e isolamento domiciliar por 14 dias. As amostras coletadas da paciente estão sendo encaminhadas para o Instituto Adolfo Lutz (IAL), laboratório referência do governo estadual para diagnóstico ou descarte da doença.

Já o casal, atendido em outra unidade hospitalar, também não precisou de internação e recebeu as mesmas recomendações (uso de máscara e isolamento domiciliar). O homem de 74 anos teve febre e tosse; já a sua esposa, de 67 anos, apresentou tosse e coriza. As amostras coletadas do casal também serão enviadas ao IAL e ficam prontas entre dois a cinco dias. A investigação epidemiológica dos casos também será realizada pelo Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE), do Governo do Estado, e o setor de Vigilância de Praia Grande, seguindo o fluxo de retorno.

Na quarta-feira (26), a Secretaria de Saúde de Santos anunciou que investiga dois casos suspeitos. Uma mulher de 74 anos e a filha de 30 anos estiveram na Itália no último dia 21. Até o momento não saiu o resultado dos exames.

Foto: Mais Santos

saiba antes via instagram @revistamaissantos