REGIÃO 

Da redação

Em três pontos da cidade de Guarujá, serão instaladas estações meteorológicas. Uma iniciativa da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil de São Paulo e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Segundo a Prefeitura da cidade, os equipamentos devem começar a funcionar até o final do mês. O objetivo é prevenir desastres naturais e medir a possibilidade de raios e a quantidade de chuva.

O primeiro equipamento será instalado em uma escola na Rua Lino da Cunha Leal, 249 – Jardim Guaiúba. A estação estará em operação de dezembro a abril, período considerado de maior incidência de raios na região.

Outros locais selecionados para a instalação foram o Grupamento de Bombeiros Marítimo – Posto 11 (Enseada) e Escola Municipal Mário Cerqueira (Rua Javari, 95 – Perequê).

Como funciona?

Este tipo de estação automática é um equipamento que realiza a coleta de dados através de sensores, que medem as variações atmosféricas ocorridas, da superfície até a ionosfera (parte superior da atmosfera terrestre).  O sistema proporciona uma leitura antecipada de condições adequadas para a ocorrência de raios e assim, no futuro próximo será possível emitir alertas de ocorrência de tempestades com descargas elétricas.

A abrangência da estação é de aproximadamente 20 km, o que permitirá uma cobertura total do Município. Os aparelhos não consomem energia, pois são carregados por energia solar.

A cada hora, o sistema registra as informações meteorológicas da área em que está localizada, estes dados são integrados e disponibilizados para serem transmitidos para uma central.

Além das informações a respeito de raios, estará disponível, também, dados de chuva que serão integrados à rede pluviométrica de Guarujá, que já conta com 15 plataformas automáticas de coleta chuva.

O coordenador da Unidade de Prevenção e Educação da Defesa Civil de Guarujá, o geólogo Carlos Adolfo Silva Fernandez ressalta que o projeto é pioneiro na região.

“Além de fornecer dados inéditos para pesquisa, o projeto permitirá um monitoramento constante do litoral, principalmente no período mais crítico de incidência de raios, relacionados a várias ocorrências em nossa região nos últimos anos”, afirmou o geólogo.

Carlos Adolfo ressalta ainda que no futuro será possível  emitir  alertas de perigo de  raios na Região, reforçando ainda mais a “Campanha Raios no Litoral”, desenvolvida pela Defesa Civil, no período de dezembro a abril.

 

saiba antes via instagram @revistamaissantos