REGIÃO 

O sentimento de gratidão levou o agente penitenciário, Jocelir Aparecido Ozório, de 42, à sede da Guarda Civil Municipal (GCM) de Praia Grande, três dias após ter tido alta do hospital. Há 20 dias, ele sofreu um infarto na rua e foi socorrido por uma equipe da corporação.

Os guardas Torres, Costa Alves e Washington, da equipe de Trânsito da GCM, estavam em uma abordagem quando um carro parou e o homem ao volante informou que passava muito mal e que precisava de ajuda. “Percebi que era grave quando vi que ele estava com a mão no peito e com a respiração muito ofegante”, lembra Costa Alves.

Imediatamente, Torres assumiu a direção do carro da vítima e a levou para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Samambaia, onde recebeu os primeiros socorros. Segundo o guarda, no hospital foi dada a confirmação de que tratava-se de um infarto. “Foi uma situação de muito estresse saber que a vida de uma pessoa está em suas mãos”.

Há mais tempo na corporação, o GCM Washington concorda que embora a rotina de um guarda civil seja puxada, uma ocorrência como esta é sempre muito tensa. “A capacitação que recebemos é fundamental nessas horas. Nesse caso, o mais importante foi o atendimento rápido”.

Na tarde desta sexta-feira, após ouvir os guardas contarem os detalhes da ocorrência, já que muita coisa ele mesmo não lembrava, Jocelir disse acreditar que só está vivo graças aos três colegas de profissão. “Tive duas artérias obstruídas, fiquei quatro dias na UTI e não tive sequelas. Só posso agradecer a eles e a Deus por estar aqui apenas três dias após ter alta”.

saiba antes via instagram @revistamaissantos