2.1 // COTIDIANOREGIÃO

Incêndio em Cubatão deixa 30 casas destruídas

Foi debelado pelos bombeiros à 1h40 desta terça-feira (21), o incêndio iniciado por volta de 23 horas desta segunda-feira (20) no final da Rua das Acácias, próximo à Rua dos Cravos, na Vila Esperança. O sinistro atingiu 17 moradias e desabrigou 42 pessoas, entre elas 15 crianças e adolescentes.

Dez famílias conseguiram abrigo imediato em casa de parentes próximos e outras sete passaram a noite no Centro de Capacitação Comunitária da Sociedade de São Vicente de Paulo, situado na Rua São Francisco de Assis, 70, Via Esperança. Elas chegaram por volta de 2h30 e receberam cobertores e colchões da Secretaria Municipal de Assistência Social.  De manhã, foi-lhes servido café da manhã.

Neste mesmo local, assistentes sociais da Prefeitura fazem o cadastramento das famílias. O prefeito Ademário Oliveira que, na madrugada permaneceu na área de incêndio, acompanhando o resgate das famílias e determinando os atendimentos de urgência, esteve no Centro Comunitário, às 10 horas desta terça-feira, conversando com as famílias.

Segundo Ademário, após o atendimento emergencial, a maior preocupação, agora, é fazer um cadastramento detalhado e rigoroso das famílias. “Não queremos que se repita o que houve no passado, quando pessoas inescrupulosas, que não haviam sido vítimas, se aproveitaram de situação semelhante e se cadastraram para também serem beneficiadas pela Assistência Social ou em projetos habitacionais futuros”.

Perda total – Das 17 moradias atingidas pelo fogo, 15 foram totalmente destruídas. Entre elas, a do casal Stephanie Carolina Rodrigues Marques e Tiago Manoel da Silva. “Eram 23 horas quando fomos acordados pelos gritos da casa vizinha, onde começou o fogo. Só tivemos tempo de pegar os documentos e sair correndo. Perdemos tudo”, disse Stephanie.

Tiago, que trabalha na Usiminas, estava preocupado porque não tem parente na região, em cuja moradia possa se abrigar, mesmo provisoriamente. O casal mora há quatro anos na Vila Esperança.

O Fundo Social de Solidariedade preparou 20 kits de alimentos e a distribuição de 20 cobertores aos desabrigados, mas conta com o apoio dos munícipes para doações de roupas, colchões, móveis, alimentos e produtos de higiene pessoal.

A doação pode ser feita pessoalmente no Fundo Social, que fica no Parque Anilinas (Avenida Nove de Abril, s/nº, Centro, entrada pelo final da Rua Assembleia de Deus) ou pelo Disque Solidariedade – 3362.0842. O Fundo Social poderá retirar na residência, mesmo em outras cidades.

Comdec – A Coordenadoria Municipal da Defesa Civil (Comdec) informou em relatório preliminar que o primeiro comunicado do sinistro ocorreu às 23h25 da segunda-feira, pela Coofrdenadoria Estadual de Defesa Civil. O incêndio, de causas ainda não apuradas, nas proximidades da Unidade Municipal de Ensino (UME) D. Pedro I, foi debelado à 1h40 desta terça-feira, iniciando os bombeiros o trabalho de rescaldo. Devido à falta de iluminação e à precariedade dos acessos, não foi possível naquele horário fazer o levantamento total das moradias destruídas.

Urbanização – Em junho, o prefeito Ademário Oliveira apresentou aos moradores da Vila Esperança o projeto para a urbanização da área, considerado o maior programa do gênero no Estado de São Paulo, pois deverá beneficiar cerca de 35 mil famílias.

Os trabalhos estão sendo desenvolvidos dentro do programa federal Minha Casa, Minha Vida, junto com a Caixa Econômica Federal, e deverão começar pela construção de 800 unidades habitacionais, com toda a infraestrutura – drenagem, saneamento e pavimentação, além de escolas e postos de saúde. O projeto garante também a consolidação de 220 residências, que deverão receber todos os benefícios de infraestrutura.

 

Foto: Nina Barbosa/G1

saiba antes via instagram @revistamaissantos