REGIÃO 

Por Alexandre Piqui

Um homem de 52 anos, diabético, hipertenso conseguiu liberdade após a justiça entender que ele faz parte do grupo de risco do novo coronavírus. O detento, morador de Guarujá, estava no Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Vicente. Foi um escritório de advocacia de Santos que conseguiu revogar a prisão preventiva.

Os advogados Marcelo Cruz, Márcio Harrison e Octávio Rolim comprovaram com laudos médicos as consequências danosas ao cliente caso fosse infectado dentro do sistema penitenciário.

Em um primeiro momento, o pedido foi indeferido. A defesa, então, preparou novos documentos, inclusive apresentando o prontuário médico do CDP e confrontando alterações clínicas desde a chegada ao presídio. Na quarta-feira (25), a 5ª Vara Criminal de São Paulo concedeu a prisão domiciliar ao detento que agora aguarda a conclusão do processo em liberdade.

Crime

Investigado em uma operação da Polícia Federal, chamada Urutau, ele foi preso em maio do ano passado por tráfico de animais.

Foto: Reprodução

saiba antes via instagram @revistamaissantos