2.5 // ECONOMIAREGIÃO

Estará valendo a partir deste mês, a Tarifa Branca, nova opção que visa diminuir o valor nas contas de luz para quem consome mais de 250 quilowatt-hora por mês. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), responsável pela aprovação , o consumidor terá a possibilidade de pagar valores diferentes em função da hora e do dia da semana. De acordo com a ANEEL, a redução na conta de luz pode chegar a 15% em São Paulo. O modelo existe desde 2018, mas era só para consumidores a partir de 500 kWh por mês.

Nos dias úteis, o valor Tarifa Branca varia em três horários: ponta, intermediário e fora de ponta. Na ponta e no intermediário, a energia é mais cara e terá duração de três horas. Fora de ponta, é mais barata e os horários irão variar de acordo ariam de acordo com a distribuidora que atende a região. Nos feriados nacionais e nos fins de semana, o valor é sempre fora de ponta. Já a tarifa convencional, é caracterizada por tarifas de consumo de energia elétrica, independentemente das horas de utilização do dia.

Mas, atenção consumidor. É importante que antes de escolher a nova opção, você conheça seu perfil de consumo e a relação entre a Tarifa Branca e a Convencional, isso porque a Tarifa Branca nem sempre é benéfica, pois dependendo do padrão de consumo da casa, ela pode fazer a conta de luz ficar ainda mais cara.

Como aderir à Tarifa Branca

Procure a concessionária de energia da sua região, presencialmente no posto de atendimento, ou pelo telefone. A empresa terá até 30 dias para instalar, gratuitamente, um aparelho que funciona como medidor de consumo nos diferentes horários, na residência.

saiba antes via instagram @revistamaissantos