ONLINE

Homenagem pelo Dia dos Pais: Diego e a filha Julia Sanches

Por Marina Marques

Fotos: Marina Marques 


O empresário Diego Rigoleto Sanches, de 35 anos, e a pequena Julia Lima Sanches, de 9 meses, foram os grandes vencedores da promoção de Dia dos Pais da Mais Santos no Instagram. Na entrevista, o paizão fala sobre as expectativas desde o momento da descoberta da gravidez da esposa até as mudanças na rotina do casal com a chegada da princesa Julia. Confira:

Sempre teve o sonho de se tornar pai ou foi após o casamento?

Eu sempre me vi sendo pai, só não sabia quando. Nós nos casamos quando eu tinha 24 anos e estamos há 10 anos casados. A gente sabia que ia ser algo que ia impactar nossa vida e a gente queria cuidar direito, fazer direito. Depois de termos aproveitado bastante a vida de casal, ter viajado, feito bastante coisa, aí falamos “agora é a hora de ter filho”.

Como foi a sua reação quando soube que sua esposa estava grávida?

Como a gente já estava planejando, não foi algo que me pegou de surpresa. Foi engraçado o jeito como ela chegou. Eu estava dormindo e de repente eu ouço um barulho e na hora que eu abro o olho ela está com o teste.

Você se sentiu pai desde que soube da gravidez ou o sentimento paterno surgiu quando ela nasceu?

Foi desde o começo. O legal de ser planejado é isso, a gente queria, os dois queriam, então desde o começo começamos a planejar as coisas, o quarto, o enxoval. Como gostamos de viajar muito, a gente conseguiu fazer uma viagem para fazer o enxoval dela. A gente conseguiu aproveitar o período da gravidez.

Você se imaginava sendo o pai que é hoje?

Sim, eu sempre tive consciência do que eu queria, mas, por mais que você se prepare, é difícil, dá muito trabalho, mas eu sempre soube que era isso. A partir do momento em que eu disse “quero ter um filho”, eu já estava preparado para isso.

Já esperavam uma menina? Quem foi que escolheu o nome dela? Como foi essa escolha?

Não, não tínhamos uma preferência. Mas era um barato que sempre que parávamos em uma loja, eu olhava coisa de menino, roupa de menino. Não tinha preferência, mas sempre olhando inconscientemente achando que era menino, não sei por quê. Mas na hora que fizemos o teste e viu que era menina, tudo bem, normal. Minha esposa veio com algumas opções de nomes, aí tinha opção que lembravam pessoas que eu não muita tinha afinidade e no final acabou ficando entre Gisele e Julia.

Mesmo que seja cedo, vocês pensam em dar um irmão (ã) para ela?

Não, está muito bom, dá bastante trabalho. Eu gostaria de ter mais filhos, gostaria de ter três, seria bem legal para ela ter irmãos. Eu sempre me imaginei criando filhos, mas depois dela eu não me imagino tendo outros. Pode ser que após uns dois anos a gente acabe mudando de ideia.

Qual a melhor parte de ser pai?

Não sei. Só de olhar para ela, acompanhar o crescimento, dá trabalho, mas é gostoso o retorno. Essa fase a gente vê mudar semana a semana, as características, as coisas que faz. Esses dias ela começou a querer ficar de pé. São coisas que ela começa a interagir conosco que vai ficando gostoso. No começo era muito mais a questão de cuidar, agora tem uma interação maior e é muito gostoso.

O que você diria aos homens hoje que querem ser pais?

Tenham certeza se é isso o que querem. Se for para ter é para cuidar, para ter responsabilidade. Vejo muitos pais falando que não dá trabalho, mas aí você vai ver o cara não faz nada em casa, sai para trabalhar, na hora que sai do serviço não quer nem ir para casa porque sabe que a criança vai estar chorando. Aí sai para jogar bola, para beber com os amigos. Se for para ter filho assim, não sei, não é uma característica minha. Então tenha certeza do que quer, para depois ser responsável em cuidar, ajudar na criação da criança. É gostoso, mas dá muito trabalho.




saiba antes via instagram @revistamaissantos