ONLINE

Miguel Bagestan, promessa da música sertaneja

Por Lucas Leite

Nos dias de hoje, muitas pessoas têm o sonho de se tornar um cantor de sertanejo. Miguel Bagestan vive esse sonho diariamente. Aos 28 anos, ele, inclusive, participou da gravação do DVD Sertanejou, em Goiânia, o que diz ter sido o show inesquecível de sua carreira.

Em rápido bate-papo com a equipe da Revista Mais Santos, o cantor e compositor contou um pouco sobre sua trajetória, planos para futuro e revelou de onde vêm as inspirações para suas composições e quais são suas influências na música.

Confira abaixo a entrevista completa:

Quando decidiu virar cantor? E por que?

Tudo começa em 2010 quando fui morar no Mato Grosso em Primavera do Leste, fui para trabalhar e morar com meu pai mas não deu certo o emprego, logo comecei a fazer amigos e como eu sempre gostei de cantar entrava nas rodas de viola que eles faziam e foi aí que tudo começou, com muita naturalidade fui me interessando pela música.

 

Você também é compositor, como surgem suas inspirações para as letras?

Sim eu componho. As letras que gravei até hoje todas foram escritas muito rápido, como um sopro ou divindade sabe? Tipo coisa de Deus? Gosto de pensar que são sim uma mensagem a mim enviada mas claro que sempre é preciso alterar algumas coisas pra se tornar música.

Tem algum show inesquecível?

Sim! O show inesquecível foi o que fiz em Goiânia na gravação da minha faixa do DVD Sertanejou, foram 5 dias de experiências com muitos artistas de Goiânia e do Brasil, foi incrível ser recebido com tanto carinho e respeito, cantar para mais de 2 mil pessoas em uma das maiores casas Sertanejas de Goiânia foi realmente incrível.

Como você vê a renovação da música sertaneja nos dias de hoje?

Acredito que como em qualquer setor é preciso se renovar, a música sertaneja tem notoriedade por isso, nunca nos submetemos a estar em segunda opção, queremos ser os primeiros e melhores em tudo, digo “nós” porque sou um em um milhão mas que reconheço que tudo acontece se cada um fizer seu trabalho bem feito e assim deixar um legado pra futuras gerações.

Para você, qual é a principal diferença entre o chamado sertanejo universitário e o tradicional?

No meu ver a única diferença são os estilos gravados, por exemplo Bruno e Marrone começaram a carreira eles eram mais raiz, músicas como “Choram as Rosas e Dormi na Praça” são referência pros novos artistas e hoje em dia também gravam musicas mais modernas como “Beijo de Varanda” entre varias outras, então acredito que a diferença é de música pra música.

Além do sertanejo, qual outro estilo de música mais te agrada?

Eu gosto de ouvir de tudo um pouco, gosto muito de pop rock, samba e pagode, música pop e também alguns funks antigos, hoje em dia pra compor algo realmente inédito é preciso diversificar bastante em relação à estilos e assuntos.

Quais são suas influências musicais?

Minhas influências vem de berço, meu pai foi baterista na juventude e tocava em banda baile e minha mãe canta até hoje na Igreja então tenho duas estrelas que me inspiram todos os dias.

Com quais artistas você gostaria de gravar uma música?

Sem sombra de dúvidas com Gusttavo Lima pois pra mim ele é o melhor do Brasil pela sua capacidade de renovação a cada álbum que grava e pela voz, técnica e musicalidade.

Quais os planos para o futuro?

Tenho vários planos para o futuro, mas um deles é gravar um novo EP com 5 faixas inéditas, levar nossa Baixada na mala e espalhar música boa por esse mundão.


saiba antes via instagram @revistamaissantos