SANTOS 

Por Bárbara Farias

“A justiça começa a ser feita”, declara Isaías de Paula, pai de Lucas Martins de Paula, sobre a prisão do dono do Baccará Backstage, Vitor Alves Karam, de 33 anos, na tarde de quarta-feira (17), em São Paulo. Karam é acusado de participação na morte do jovem, que tinha 21 anos.

“A gente tem a sensação de que a justiça começa a ser feita. Ele (Vitor Karam) tem que ficar preso, espero que seja condenado”, afirma Isaías de Paula.

Na madrugada de 7 de julho de 2018, Lucas Martins de Paula foi espancado por seguranças dentro e fora da casa noturna, após reclamar da cobrança de R$ 15 a mais na sua comanda. Socorrido e internado em estado grave na Santa Casa de Santos, Lucas permaneceu em coma durante 22 dias, falecendo no dia 29 de julho.

O empresário Vitor Karam teve a prisão preventiva decretada na época do crime e estava foragido desde então. Ele foi detido pela polícia na tarde de quarta-feira, em um apartamento na Zona Oeste de São Paulo, após uma denúncia anônima. Karam foi encaminhado para uma Cadeia Pública. Ele deve ser interrogado ainda nesta quinta-feira (18) a pedido da defesa.

Karam é o terceiro indiciado pela morte de Lucas de Paula a ser preso. Os seguranças Sammy Barreto Callender e Thiago Ozarias, o principal agressor, foram detidos na época do crime.

Isaías de Paula ainda tem esperança de que o quarto envolvido no assassinato de seu filho, o ex-chefe de segurança da casa noturna, Anderson Luiz Pereira Brito, seja encontrado e preso. “Ainda falta prender o Brito, que era o chefe de segurança. Espero que ele seja preso e condenado”, diz Isaías à Revista Mais Santos.

A prisão de Vitor Karam é um alívio para a família de Isaías de Paula que clama por justiça, mas o pai de Lucas declara que a dor da perda do filho é irremediável. “A nossa vida, minha e da minha esposa, nunca mais será a mesma. Vamos carregar isso para sempre. Nós fomos condenados a viver sem a presença do nosso filho. Os sonhos dele eram os nossos. Acabou. Nós clamamos por justiça”, lamenta Isaías.

Ato por justiça no Gonzaga
No próximo dia 28 (domingo), a família de Lucas Martins de Paula realizará uma manifestação na Praça das Bandeiras, no Gonzaga, às 16 horas, com passeata até a Praça da Independência, onde os manifestantes farão um abraço simbólico às 17 horas. “A manifestação é por justiça para o meu filho e para impedir que mais casos de violência como o dele aconteçam”, afirma Isaías.

saiba antes via instagram @revistamaissantos