1.8 // MEIO AMBIENTESANTOS

Liberdade para duas tartarugas verdes (Chelonia mydas) que estavam há quase um ano sob tratamento no Aquário Municipal. Elas foram devolvidas ao seu habitat natural, o mar, nesta sexta-feira (28), na área do Parque Marinho da Laje de Santos. Os animais, com idade aproximada entre 4 e 5 anos, haviam engolido lixo e chegaram ao parque debilitados e anêmicos.

A soltura foi realizada pela veterinária do Aquário, Cristiane Lassálvia, e acompanhada pelo coordenador Alex Ribeiro e pela equipe da Fundação Florestal, que gerencia a área de proteção ambiental do Parque Estadual Marinho da Laje de Santos.

“Os dois animais ingeriram plástico, passaram por tratamento no Aquário e receberam alimentação adequada. Depois de um tempo sem evacuar esse resíduo, consideramos que eles estavam aptos para soltura”, disse o coordenador Alex, ressaltando a opção pela Laje de Santos. “Por ser uma área de proteção ambiental, ali elas encontram outros animais da mesma espécie, o que facilita a adaptação e a recuperação delas”.

O Aquário conta atualmente com 15 tartarugas em tratamento, a maioria com problema de ingestão de materiais como fios de pesca, bexigas de plástico, sacos, tampas de embalagens, entre outros, confundidos com alimento.

Educação ambiental

Nos últimos dez anos, de 200 tartarugas marinhas acolhidas e tratadas no Aquário, 124 morreram e 76 foram recuperadas. Quase a metade das que morreram (48,7%) tinha corpos estranhos no trato intestinal. Essas informações são usadas pela equipe de educação ambiental do Aquário em oficinas, cursos e palestras, além do contato com o público visitante, por meio de banners e instalações, visando a conscientização.

saiba antes via instagram @revistamaissantos