1.7 // ESPORTE 

Anderson Firmino

O setor defensivo do Santos tem um desafio especial para 2020: mostrar que, no time do “DNA ofensivo”, também tem seu valor. Sem Gustavo Henrique, que foi para o Flamengo, a defesa vê a renovação de contrato de Luiz Felipe e a boa expectativa de Luan Peres. Isso sem falar em Lucas Veríssimo. Tudo para agradar ao novo comandante, o português Jesualdo Ferreira.

“O ano começou e agora é hora de focar. Voltamos bem, já fizemos os exames que tínhamos que fazer, já treinamos no campo também e demos início às partes físicas, técnicas e táticas. Já estamos impondo ritmo com o novo treinador e estamos ficando prontos para este ano que promete muito para nós”, disse Peres, durante a semana.

Luan Peres crê que o ano vai exigir muito do grupo

Quanto a Luiz Felipe, o defensor acertou seu novo contrato, agora válido até 2024.  O anterior era válido até 2022. Se no ano passado foram apenas 20 partidas, a tendência é de que tenha mais chances na nova temporada.

Pouco vazada

No Brasileirão, o Santos teve uma das defesas com mais jogos sem ser ter a meta vazada. Foram 17 vezes nas 38 rodadas, pouco melhor que Palmeiras e São Paulo (15 vezes). Mesmo assim, as derrapadas em alguns jogos davam a impressão que a defesa não era tão boa assim. O novo ano chega com a missão de provar o contrário.

Nas laterais, o Santos perdeu Victor Ferraz e Jorge, que foram para Grêmio e Monaco, respectivamente. No entanto, chegou Madson, do tricolor gaúcho e que estava no Athletico/PR.

Madson é uma das novidades no Santos para a temporada de 2020

No gol, Vanderlei está perto da saída – Grêmio e Atlético/MG estão no páreo para tê-lo. Vladimir volta de empréstimo do Avaí. Contudo, a tendência é de que a vaga de titular seja de Everson.

Fotos: Ivan Storti/Santos FC

saiba antes via instagram @revistamaissantos