1.7 // ESPORTEREGIÃO 

Da redação

A surfista vicentina Monique Pontes fez bonito e subiu ao pódio, pela segunda etapa do Circuito Brasileiro de Longboard. Após chegar invicta à final, a atleta ficou com a 3ª colocação. A competição foi realizada pela Confederação Brasileira de Surf, na Praia da Macumba, no Rio de Janeiro.

O resultado foi excelente, pois mantém Monique entre as melhores surfistas do País. “Nas últimas temporadas fiquei em 4º lugar no ranking. Agora, consegui evoluir mais estas duas etapas e chegar ao 3º lugar. Fiquei muito feliz porque mostrei meu surf e passei em 1º nas baterias. Na final, as ondas deixaram a desejar, mas, de qualquer forma, eu estou muito satisfeita com o meu desempenho”, afirma.

Diferentemente do que ocorre em outros circuitos, a organização do evento adotou o critério do ranking do ano anterior para o desempate. “É mais comum ser levada em conta a segunda prova ou a pontuação das baterias finais do evento. Dessa forma, eu levaria vantagem, porém, regra é regra e temos que nos adaptar. Eu sei aonde cheguei e agora é partir para a próxima”, explica.

Apesar da alegria pela 3ª colocação, a surfista comentou sobre as difíceis condições encontradas em águas cariocas. “O mar estava complicado, a água estava extremamente gelada e o tempo não estava ajudando. Parecia o inverno da Europa, com a água congelando as extremidades do corpo. Não era o que eu estava esperando. Além disso, não dava a impressão que eu estava no Rio de Janeiro”, revela.

A Confederação Brasileira de Surf deve anunciar, em breve, a realização da terceira etapa, que está prevista para dezembro. A atleta, radicada em São Vicente, está ansiosa para competir. “Eu quero vencer, mas percebo que estou consolidando minha trajetória no esporte. Eu perdi apenas para meninas mais experientes, com muito talento e títulos na bagagem. Então, estou bem feliz porque a ‘azarona’ da bateria fui eu”, diz.

Na próxima etapa do Circuito, a surfista acredita que está preparada para se destacar e subir no lugar mais alto do pódio. “Na pontuação geral, eu estou empatada com outra atleta, com 1.400 pontos, na vice-liderança, mas pelo critério de desempate fiquei em 3º no ranking. Agora é aguardar a próxima etapa e tentar conquistar o título”.

Recentemente, Monique competiu pelo Sul-Americano, em Maresias (SP) e se consolidou entre as Top 10 do Continente. A atleta terminou em 7º lugar no ranking geral do Sul-Americano. Além disso, a vicentina também está na 30º colocação no ranking da Word Longboard Tour.

A próxima etapa do Nacional será decisiva na definição dos campeões brasileiros de 2019, além dos representantes no Pan-Americano e no Mundial Internacional de Longboard, em 2020.

Longboard – Para quem não conhece, no Longboard a prancha tem, em média, três metros de comprimento. Ou seja, oferece uma estabilidade maior do que as usadas normalmente por atletas profissionais, como o bicampeão mundial de surfe Gabriel Medina. Isso faz com que a prática do esporte se torne ainda mais radical.

saiba antes via instagram @revistamaissantos