COLUNASMAIS SAÚDE

Fadiga

A fadiga é uma sensação cada vez mais presente em nosso cotidiano. Muitos estudos científicos associam o cansaço extremo à atividade profissional ou devido a uma doença crônica. O trabalho produz um quadro de exaustão denominado de Síndrome de Burnout. Vários estudos sobre professores, profissionais da área da saúde ou policiais já foram desenvolvidos caracterizando a situação. A doença crônica também leva à exaustão. O câncer e sua terapia e as dores crônicas podem provocar fadiga. Mas algumas pessoas estão exaustas, fadigadas, sem aparente causa física e tendo tempo para repouso e sono.

Se a exaustão é acompanhada de outros sintomas, como queda de cabelo, desarranjo intestinal, perda de peso, sede intensa, há de se investigar possíveis causas associadas como diabetes, hipotireoidismo, intolerância alimentar, ansiedade ou depressão, pernas irrequietas ao dormir ou apneia do sono, podem levar um indivíduo à exaustão.

Alguns hábitos também podem provocar cansaço excessivo. Uma situação comum que pode ser a causa do cansaço é beber pouca água. O estado de desidratação pode provocar cansaço. Outro fator de fadiga crônica é excesso de cafeína. Experimente ficar um mês sem café, chá ou refrigerantes de cola, mas retire lentamente esse hábito. Reduza gradativamente em três semanas até não beber nada. Caso contrário, é possível o aparecimento de síndrome de abstinência, um mal-estar incontido pela falta da cafeína.

Bebidas alcoólicas próximas à hora do sono também prejudicam. Idealmente, não se deve exceder duas doses de álcool ao dia. Além das horas de sono, procure introduzir alguma prática relaxante durante ao dia, que lhe dê prazer. Qualquer coisa como ler, conversar ou caminhar sem pressa. Refeições saudáveis no café da manhã, almoço e jantar, além de frutas e pequenos lanches nos intervalos também podem reduzir a sensação de cansaço.

Finalmente, o cansaço pode ser proveniente da obesidade e do sedentarismo. Realizar atividade física regularmente pode provocar um “bom” cansaço e reduzir o “mal” cansaço. No começo, a prática da atividade física pode se mostrar cansativo, porém a constância trará mais disposição, além do fato de que o fortalecimento muscular facilitará as atividades cotidianas, exigindo menos esforço e resultando em maior facilidade na execução.

Comer adequadamente e praticar atividade física também ajudam a manter o peso em proporções adequadas. O sobrepeso é um fator que pode limitar a mobilidade e trazer maior nível de cansaço. Assim, perder peso também pode reduzir o cansaço crônico.

Se ainda tiver dúvidas, encaminhe sua dúvida para o Centro de Informações sobre Medicamentos (CIM) do curso de Farmácia da Unisantos. O contato pode ser pelo e-mail cim@unisantos.br ou por carta endereçada ao CIM, avenida Conselheiro Nébias, 300, 11015-002.

saiba antes via instagram @revistamaissantos