REGIÃOSANTOS

Governo Federal atrasa o repasse de vacinas DTP para Santos e pacientes reclamam da demora no atendimento

Moradores de Santos não conseguem encontrar a vacina (DTP) tríplice bacteriana nas unidades de saúde. A culpa dessa situação, segundo a Prefeitura de Santos, é do Governo Federal. A quantidade enviada pelo Ministério da Saúde aos estados e, consequentemente, estaria abaixo do número necessário para atender a demanda.

Segundo a moradora do bairro do Jardim Castelo, Diana Silva Santos, 25 anos, há seis meses tenta vacinar o seu filho de 4 anos e não consegue.  A rotina tem sido levá-los até a Unidade de Saúde da Família no bairro, na tentativa de conseguir cumprir o que determina o Ministério da Saúde. “Eu já fui várias vezes e nada. Quando reclamo, eles falam para eu ligar na ouvidoria” – disse. Ela alega já ter entrado em contato com o setor responsável, mas não há previsão para solução.

Questionada sobre a situação dessa família, a Prefeitura informou que a orientação é para que a munícipe procure a unidade Nova Cintra, que fica à Rua José Ozéas Barbosa s/n, de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h.

A vacina contra difteria, tétano e coqueluche é dada em forma de injeção sendo necessário 4 doses para que o bebê fique protegido, mas ela também é indicada durante a gravidez, para profissionais que trabalham em clínicas e hospitais e para todos os adolescentes e adultos que tenham contato próximo com o recém nascido.

 

Foto: blog Claudio Andrade

saiba antes via instagram @revistamaissantos