POLÍCIASANTOS 

Da redação

Neste domingo (15), no Cemitério da Areia Branca em Santos, houve o sepultamento do policial militar Vinicius da Silva de Melo, de 28 anos. Ele trabalhava no 10° Batalhão da PM, na cidade de Piracicaba, interior de São Paulo e foi morto em serviço.

De acordo com a corporação, era por volta das 10 horas de sábado (14), quando o soldado Melo realizava patrulhamento pelo bairro Alvorada junto com o cabo Rubens. Os dois viram um veículo em atitude suspeita que acabou fugindo.

Houve perseguição, o criminoso parou o automóvel, desceu e portando um fuzil atirou contra a guarnição. Os tiros atingiram o braço do cabo Rubens e a cabeça do soldado Melo. Eles foram socorridos para a Santa Casa de Piracicaba, mas infelizmente o soldado não sobreviveu.

Vinicius da Silva de Melo nasceu em Santos e morava com a família na cidade onde trabalhava como policial militar. Ele deixa esposa e dois filhos; um de seis e outro de quatro anos.

João Doria, governador de São Paulo (PSDB), usou as redes sociais para prestar condolências. Ele postou a seguinte mensagem: “Minha solidariedade aos familiares do policial que perdeu sua vida”, relata o texto.

Suspeito do crime foi morto

Sérgio Gomes Samad, de 35 anos, suspeito de atirar na equipe foi morto ainda no sábado (14) em uma nova troca de tiros com policiais. Agentes do Comando de Operações Especiais (COE) realizavam as buscas pelo criminoso.

Ele foi localizado, tentou reagir novamente e foi baleado. Ao ser socorrido, deu entrada no hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

O assassino tinha passagens por roubo, cumpriu pena no sistema prisional e estava em liberdade desde 2016. No carro em que ele estava, havia uma grande quantidade de munições e armas. Segundo a polícia, o homem agiu sozinho nas duas ocorrências.

Imagens: Reprodução/ Redes Sociais

saiba antes via instagram @revistamaissantos