SANTOS 

Por Alexandre Piqui

Um navio de cruzeiro fundeado na barra de Santos está sendo monitorado pelas autoridades em saúde. Quatro tripulantes desembarcaram do navio Costa Fascionosa com suspeita de Covid-19, sendo dois deles, na tarde desta quinta-feira (26).

De acordo com Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o navio está sem operar no Porto de Santos, desde o dia 17 de março, devido ao encerramento dos cruzeiros no país.

Em nota, o órgão do Governo Federal informa que no dia 19 de março foi feita uma determinação para que o navio cumprisse quarentena até o dia 28 de março. Isso porque passageiros que estiveram no navio ainda durante a temporada deram resultado positivo para Covid-19 dias após o desembarque.

Estes três passageiros haviam deixado o Costa Fascinosa no dia 14 de março, por isso o navio já estava cumprindo quarentena até o dia 28 deste mês.

Os quatros tripulantes seguiram para o atendimento hospitalar e as informações sobre estado de saúde serão atualizadas pelas autoridades locais.

Histórico da doença a bordo:

No dia 19 de março, a Anvisa recebeu a informação que uma passageira testou positivo para o novo coronavírus. Ela embarcou no dia 08 de março e desembarcou no Porto de Santos, no dia 14.

Com a confirmação,  foi emitida uma determinação de quarentena aos tripulantes por 14 dias, a contar da data do desembarque da  mulher.

Com isso, foi solicitado à Capitania dos Portos todo o apoio para uma eventual remoção de tripulantes que apresentassem os sintomas para isolamento em terra.

No dia 24 de março, surgem mais dois novos casos suspeitos. São de tripulantes filipinos de 23 e 42 anos. No dia seguinte foi feito o desembarque deles através de uma lancha e sob supervisão da Anvisa. Eles foram encaminhados para atendimento em Santos.

As autoridades foram comunicadas nesta quinta-feira (26) que mais dois tripulantes, um indonésio e um filipino, apresentavam sintomas respiratórios do Covid-19.

A embarcação possui ainda 760 pessoas a bordo, todos estão sendo mantidos em suas cabines e sem acesso as áreas comuns do navio, somente com autorização do comandante e por motivos justificados.

Segundo a nota da Anvisa, a temperatura de todos os embarcados está sendo verificada duas vezes ao dia e os resultados fora do normal são comunicados à agência governamental.

Todas as refeições são deixadas na porta de cada cabine visando não haver trânsito de pessoas para alimentação no navio.

O navio vem sendo higienizado com HB Quat da Ecolab e os condicionadores de ar não estão sendo ligados para ter um ambiente arejado.

Só têm acesso as dependências do navio pessoas com atividades preponderantes e não adiáveis.

saiba antes via instagram @revistamaissantos