PUBLICIDADE

Santos / Sa√ļde

Hospital em Santos começa a receber pacientes de Covid-19 no dia 22

Reformado pela Prefeitura para atender especificamente os pacientes de covid-19, o Hospital Vit√≥ria, que disp√Ķe de 130 leitos de campanha, tem previs√£o de entrar em funcionamento no pr√≥ximo dia 22.

Situada na Rua Rio de Janeiro, 19¬†(Vila Belmiro), em Santos, a unidade contar√° com recursos estaduais de R$ 19 milh√Ķes para custeio durante o per√≠odo da pandemia. A verba est√° inclu√≠da no repasse de R$ 30 milh√Ķes anunciado nesta quarta-feira (13) pelo Governo do Estado. Ao todo, ser√£o disponibilizados 350 novos leitos hospitalares na Baixada Santista, sendo 50 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 300 de enfermaria.

Al√©m de Santos, o montante repassado contempla unidades de sa√ļde de Praia Grande e Itanha√©m.¬†A destina√ß√£o dos recursos foi uma solicita√ß√£o do prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, que vem representando a regi√£o como presidente do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb) e membro do Conselho Municipalista do Estado de S√£o Paulo ‚Äď √≥rg√£o criado na √ļltima semana, com prefeitos de 15 regi√Ķes metropolitanas mais a Capital.

‚ÄúFoi uma grande conquista, a not√≠cia mais importante desses tempos de pandemia. Desta forma, toda a regi√£o estar√° atendida e conseguiremos diminuir a taxa da ocupa√ß√£o dos leitos hospitalares. A expectativa, infelizmente, √© de aumento do n√ļmero de casos e precisamos estar preparados‚ÄĚ, disse Barbosa, que na √ļltima sexta-feira (8) se reuniu no Pal√°cio dos Bandeirantes com o governador Jo√£o Doria, o vice-governador Rodrigo Garcia e os secret√°rios estaduais de Sa√ļde, Jos√© Henrique Germann, e Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

‚ÄúA taxa de ocupa√ß√£o de leitos na Baixada Santista superou 80% em cidades como Itanha√©m. √Č uma preocupa√ß√£o grande, um alerta que estamos dando ao longo das √ļltimas duas semanas sobre esse crescimento‚ÄĚ, comentou Vinholi durante o an√ļncio dos repasses. Ele ainda alertou que o m√™s de maio apresentar√° um ‚Äúcrescimento agudo‚ÄĚ das contamina√ß√Ķes pelo novo coronav√≠rus na regi√£o.

Gest√£o

A gest√£o do Hospital Vit√≥ria ser√° compartilhada entre a Prefeitura e a organiza√ß√£o social (OS) Instituto Social Hospital Alem√£o Oswaldo Cruz, por meio de aditamento do contrato para gerenciamento do Complexo Hospitalar dos Estivadores. O custeio mensal da unidade √© de R$ 4,8 milh√Ķes. O Munic√≠pio tamb√©m busca recursos do Minist√©rio da Sa√ļde para a opera√ß√£o.

Para funcionamento da unidade, s√£o estimados 500 profissionais, sendo 260 contrata√ß√Ķes diretas (CLT) e outras 250 indiretas, entre m√©dicos, enfermeiros, nutricionistas, vigilantes e agentes de limpeza.

Contrato

O Hospital Vit√≥ria vai abrigar 130 leitos do Sistema √önico de Sa√ļde (SUS), sendo 17 Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e 113 de enfermaria. A cess√£o gratuita do edif√≠cio ao Munic√≠pio ocorreu por meio de um termo de comodato assinado com o United Health Group Brasil, propriet√°rio da operadora de sa√ļde Amil. O contrato √© v√°lido at√© 31 de dezembro.

Leitos Covid-19

Ao todo, a rede hospitalar da Cidade (unidades p√ļblicas e privadas) conta atualmente com 699 leitos para pacientes de covid-19. Na rede SUS, sob gest√£o municipal, entraram em opera√ß√£o 283 leitos, distribu√≠dos entre o Complexo dos Estivadores, Santa Casa de Santos, Benefic√™ncia Portuguesa, Hospital de Pequeno Porte (HPP) e nos hospitais de campanha Afip e Hospital de Campanha UPA Zona Leste.

Reforma do edifício proporcionou agilidade e economia

Um investimento de R$ 4,9 milh√Ķes da Prefeitura garantiu o Hospital Vit√≥ria como mais uma unidade de campanha para pacientes de covid-19. O montante foi empregado em adequa√ß√Ķes na estrutura f√≠sica e na rede de gases e na compra de equipamentos e leitos hospitalares, al√©m de ventiladores mec√Ęnicos e monitores multipar√Ęmetros. Os leitos est√£o em fase final de montagem.

Com a urg√™ncia de atendimentos imposta pela pandemia, a Secretaria Municipal de Sa√ļde (SMS) buscou uma solu√ß√£o √°gil e econ√īmica para a instala√ß√£o de novos leitos de campanha. Por j√° dispor de grande parte da infraestrutura necess√°ria, o Hospital Vit√≥ria ‚Äď cujas atividades j√° se encontravam suspensas ‚Äď foi identificado como local ideal na Cidade para as instala√ß√Ķes tempor√°rias. Ainda assim, para atender plenamente a popula√ß√£o, o edif√≠cio precisou de adapta√ß√Ķes, pois foi projetado para tratamentos oncol√≥gicos, n√£o de pronto-socorro.

‚ÄúSe opt√°ssemos por construir um hospital deste porte com as mesmas condi√ß√Ķes, ou mesmo montar uma unidade com estruturas provis√≥rias, em gin√°sios, est√°dios e outras √°reas, o custo aos cofres p√ļblicos seria de dez a 30 vezes superior ao investido na adapta√ß√£o desse pr√©dio. Isso √© poss√≠vel constatarmos pelos investimentos realizados por outros munic√≠pios‚ÄĚ, explica o secret√°rio municipal de Sa√ļde, F√°bio Ferraz.

As interven√ß√Ķes realizadas pela Prefeitura nos oito andares do im√≥vel permitiram a amplia√ß√£o do n√ļmero de leitos de 48 para 130. ‚Äú√Č quase tr√™s vezes mais do que havia antes. Aumentamos a oferta de leitos sob a l√≥gica de um hospital de campanha‚ÄĚ. Ap√≥s a pandemia, os aparelhos e leitos adquiridos para equipar a unidade de campanha ser√£o aproveitados em outros equipamentos p√ļblicos de sa√ļde.

Interven√ß√Ķes

Na parte el√©trica, as interven√ß√Ķes inclu√≠ram revis√£o de toda a fia√ß√£o pr√©-existente no edif√≠cio, instala√ß√£o de ramais para os 82 novos leitos e restrutura√ß√£o da ilumina√ß√£o. Na √°rea de atendimento, foram implantados sanit√°rios e chuveiros, al√©m de sistemas de chamada de enfermagem. Houve tamb√©m readequa√ß√£o da rede de gases hospitalares.

Para os profissionais de sa√ļde, foram constru√≠dos vesti√°rios masculino e feminino e espa√ßos de descontamina√ß√£o, com isolamento de rotas para garantia de fluxo seguro das equipes. Houve, ainda, pintura geral do edif√≠cio.