PUBLICIDADE

Santos / Trânsito

Convênio para repasse de R$ 8 milhões à Ponte dos Barreiros deve ser assinado hoje

Um convênio entre o Governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura de São Vicente deverá ser assinado nesta sexta-feira (13) para a liberação de R$ 8 milhões à reforma emergencial da Ponte dos Barreiros, interditada desde o dia 30 de novembro. A ponte é a principal ligação entre a Área Insular e a Área Continental da cidade, onde residem aproximadamente 150 mil pessoas.

Após a obtenção dos recursos, o próximo passo é conseguir a autorização judicial para realizar a reforma, garantindo assim a liberação parcial da ponte, que é a principal ligação entre as áreas Insular e Continental de São Vicente. Para isso, a Secretaria de Estado de Logística e Transporte deverá encaminhar todos os documentos necessários e o projeto de reforma à Justiça. Na quinta-feira (12), a Justiça e o Ministério Público negaram a liberação parcial da ponte, por falta de laudos técnicos.

A Ponte dos Barreiros está interditada desde o dia 30 de novembro após técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e especialistas realizarem a vistoria e emitirem um laudo apontando o risco de um colapso estrutural. Já durante nova visita técnica com o IPT, o secretário estadual de Logística e Transporte, João Octaviano Machado Neto, afirmou que é possível liberar a ponte parcialmente ao tráfego de veículos, considerando que um dos lados oferece estrutura melhor, porém, desde que seja feita uma reforma emergencial nas pilastras deterioradas garantindo assim a segurança dos usuários.

R$ 8 milhões

Ao todo, serão liberados R$ 8 milhões para a reforma parcial da Ponte dos Barreiros, sendo metade do Estado e o restante será repassado por quatro deputados estaduais. Em vídeo divulgado na noite de quinta-feira (12), os deputados Kenny Mendes (PP), Tenente Coimbra (PSL), Paulo Corrêa Jr. (sem partido) e Wellington Moura (PRB) anunciaram que liberarão R$ 1 milhão cada, proveniente de emendas parlamentares, para a reforma.

O governador João Doria (PSDB) já havia afirmado que o Estado poderia arcar com os outros 50% dos custos das obras.

Segundo apurado pela reportagem, a ideia é de que os 30 pilares que estão mais comprometidos sejam reformados, eliminando os riscos de colapso. Em uma primeira etapa, as obras serão realizadas nos 16 pilares que estão mais deteriorados, para que a ponte possa ser liberada parcialmente. Em seguida, serão reformados os 14 pilares restantes, para reabrir a ponte por completo.

“Depois de muito trabalho, conseguimos avançar tecnicamente e garantimos os recursos graças aos deputados. Com o convênio que será feito, poderemos pleitear a reabertura da ponte e fazer as obras emergenciais necessárias para ter seu trânsito normalizado”, afirma o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

Foto: Arquivo/Guilherme Santi