1.4 // SAÚDESANTOS

Urologista Fábio Atz tira dúvidas sobre o câncer de próstata e ressalta importância dos exames

Saúde é coisa séria com a qual não dá para brincar. No mês de novembro, é realizada a campanha Novembro Azul, que tem como missão conscientizar os homens sobre a importância de estar em dias com os exames de rotina para se prevenir o câncer de próstata.

Atualmente, a cada biênio são diagnosticados 68.220 casos. Estima-se que 1 a cada 9 homens será diagnosticado com o câncer de próstata durante a vida.

O câncer de próstata é o segundo no ranking de mortalidade, perdendo apenas para o de pulmão, e, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a cada 41 homens, 1 morrerá de câncer de próstata.

Mesmo com números tão alarmantes, ainda existe uma estigma e um certo preconceito contra o exame de toque. Para isso, o dr. Fábio Atz, urologista e proprietário do ATZ Day Hospital, explicou a importância de fazer os exames e prevenir o câncer de próstata.

Confira abaixo a entrevista completa:

Foto: Lucas Leite

Quais são as formas de se prevenir o câncer de próstata?

A única forma de você prevenir o câncer de próstata é fazendo uma busca ativa pela doença.

Uma vez que a doença não dá sintomas na fase inicial, o paciente tem de procurar pelo médico, que ele vai fazer essa pesquisa, que consiste no exame de toque e no exame do PSA. Caso esses dois exames, ou um deles, dê alguma alteração, é indicada e realizada uma biópsia da próstata, para detectar se há a presença ou não do câncer.

Qual a importância de se fazer os exames de rotina?

O câncer de próstata é uma doença altamente incidente na população masculina. Ela tem um índice de mortalidade muito grande e é curável. Já que é uma doença curável, basta chegar no momento certo e fazer essa prevenção, daí vem a importância da prevenção e das campanhas que são feitas anualmente para poder realmente prevenir um desfecho fatal da doença.

Como quebrar o estigma que ainda existe em torno do exame de toque?

Acho que as campanhas de veiculação pela imprensa, como o Novembro Azul, que está tendo agora, e o acesso à informação é a principal fonte. Acho que precisamos desmistificar a questão do exame do toque, que é um exame indolor e super rápido de ser feito e que quando os homens tomam consciência da importância da prevenção eles acabam buscando o exame de forma natural.

Quais são os fatores de risco de quem tem o câncer de próstata?

Os fatores de risco são aqueles pacientes com hereditariedade, onde tem histórico familiar, e isso é proporcional ao número de familiares com câncer de próstata. Então se você teve um parente, dois ou três, vai aumentando gradualmente a sua chance de vir a ter o câncer. E para aqueles homens na faixa etária dos 45 anos para mais e também pela raça. A raça negra tem uma incidência maior de câncer de próstata.

O que significa o Novembro Azul para o paciente?

O Novembro Azul é uma oportunidade a mais de acesso à informação. São muitos veículos (rádio, televisão, a mídia escrita, falada, internet) que alertam para tomar o conhecimento da importância que tem a saúde masculina. O homem não tem a cultura de fazer prevenção desde a infância, como a mulher faz com o ginecologista, então isso precisa ser incutido na cabeça do paciente, que realmente a prevenção é a melhor solução para ele.

Visto o alto índice de mortalidade do câncer de próstata, os homens demonstram a preocupação necessária? Buscam exames como o esperado ou há muita resistência?

É justamente se uma doença tem um alto índice de incidência é porque está havendo uma carência da população em procurar a assistência médica adequada. O câncer de próstata realmente é uma doença com uma alta mortalidade, mas ao mesmo tempo é uma doença que tem cura. Então, basta o paciente chegar e procurar assistência preventiva no momento correto, antes da doença avançar. Com relação aos exames, a gente passa a fazer os exames de toque e PSA, que é uma coleta de sangue, a partir dos 45 anos para os pacientes que tem o fator de risco, que são hereditariedade, quando tem casos na família, ou da raça negra, que são os maiores índices do câncer de próstata, e a partir dos 50 anos para quem não tem nenhum fator de risco.

O câncer de próstata é uma doença lenta. Então, fazer exames com freqüência uma vez ao ano basta. É necessário procurar o urologista para o mesmo fazer o diagnóstico correto.

Apesar de raro, jovens também tem câncer de próstata. Como os jovens podem se prevenir?

Essa informação não é muito bem definida ainda, até porque o câncer de próstata é uma doença do homem mais idoso, do adulto para a terceira idade. É muito raro você ter o câncer de próstata antes dos 40 anos, praticamente se desconhecem esses casos.

Após os 40 anos, se tem uma incidência pequena, por isso que recentemente a Sociedade Brasileira de Urologia mudou os critérios e empurrou um pouco, de 40 para 45 anos.

O peso da influência da carne vermelha e da gordura animal em pacientes com câncer de próstata é mensurável?

Não é muito bem mensurável. O que acontece é que essa questão das dietas em relação ao câncer de próstata, especificamente, ela ainda não está muito bem estabelecida. Ou seja, não tem nenhum fator forte de evidência em relação a algum alimento que previna ou que desencadeia o câncer de próstata.

Isso é baseado em estudos populacionais, ou seja, grandes populações, onde você vê uma maior incidência de câncer de próstata em países que consomem mais carne vermelha. Ao passo que você vê uma pequena incidência de câncer de próstata, por exemplo, em países asiáticos, onde procuram uma alimentação mais vegetariana.

Baseado nesses estudos, você vê um mapa de incidência de câncer de próstata mundial, de onde saiu essa conclusão.

Quais são os sintomas de quem tem o câncer de próstata?

O câncer de próstata na fase inicial, ou seja, quando a doença está localizada ainda dentro da próstata, ele não dá sintoma praticamente nenhum. A próstata é como uma mexerica que tem seus gomos na parte interna e uma casca.

80% a 90% dos cânceres de próstata eles dão na periferia, ou seja, na casquinha da glândula. E essa casca está muito mais em contato com a corrente sanguínea, então, o câncer escapa e vai à distância, do que dar sintomas locais. Muitos homens confundem a questão de aumento de próstata, que é benigno, porque a próstata com o envelhecimento tem a tendência a inchar e aumentar de volume. E esse aumento benigno causa sintomas de dificuldade urinária, o jato vai ficando fraco, cortado, aumento da freqüência urinária, tanto de dia quanto de noite, mas isso não está diretamente ligado ao câncer de próstata, assim como urinar sangue. Na fase inicial, o câncer de próstata é assintomático.

Como é o tratamento?

O tratamento é estratificado de acordo com a fase que a doença se encontra e com as características dos pacientes. Existem os tratamentos que são curativos, que constituem na cirurgia e na radioterapia. Existe uma outra conduta chamada de vigilância ativa, para aqueles pacientes que tenham uma doença de pouca agressividade ou que não têm condições clínica de se submeter aos tratamentos, ou seja, pacientes muito idosos, com outras doenças graves e que a gente sabe que o desfecho desse paciente, ou seja, a chance de ele falecer por outras doenças é muito maior do que falecer pelo câncer de próstata que é uma doença de evolução lenta.
Então, nas fases iniciais do câncer o tratamento fica restrito à cirurgia e à radioterapia e depois quando a doença avança, existem os tratamentos com bloqueio hormonal, inicialmente, porque o câncer de próstata é uma doença que depende da testosterona. Ele se alimenta do hormônio masculino. E quando esse câncer se torna refratário ao bloqueio hormonal, aí vem, por último, a quimioterapia.

Foto: Pixabay

saiba antes via instagram @revistamaissantos