SANTOS 

Por Alexandre Piqui

A vinda do general João Camilo Pires de Campos à Santos não teve uma boa repercussão entre a classe política. Escolhido como secretário de segurança pública no governo João Doria, ele veio conhecer as pessoas que fazem parte da pasta no qual comanda. E na visita, general Campos se deparou com alguns problemas enfrentados por quem busca combater a criminalidade na região. Uma delas está nas condições estruturais do Palácio da Polícia.

Foto: Isabella Graça/ Portal Mais Santos

O prédio abriga o Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo – Deinter 6, delegacias especializadas e o primeiro distrito policial da cidade. Questionado sobre um prazo para reforma do edifício, o secretário não determinou quando isso irá acontecer.

Para o presidente da Câmara dos Vereadores de Santos Rui de Rosis (MDB), a situação é preocupante. “Pelo jeito que o Palácio da Polícia se encontra hoje, chamá-lo de Palácio é até um contrassenso”, diz o chefe do legislativo. O secretário se reuniu com os vereadores durante a passagem por Santos. “Num primeiro momento, a reunião nos causou esperança. Imaginávamos que, nessa visita, teríamos uma conversa franca, exporíamos os problemas e receberíamos respostas concretas. No final das contas, as falas do secretário foram extremamente evasivas”, conclui de Rosis.

De acordo com o vereador Sérgio Santana (PL), a visita teve pouca importância. “Mostramos que precisamos de uma solução imediata. Parece que eles não estão nem aí”, desabafa. Santana ainda entregou um documento ao representante do Estado. “Apresentei uma cópia de uma moção de apoio aos bombeiros, relacionei todos os problemas em detalhes e não vi nenhuma preocupação”, conta.

O encontro com os vereadores foi o último compromisso do secretário na cidade. O dia começou com uma reunião no próprio Palácio da Polícia, depois teve visita ao Grupamento do Corpo de Bombeiros e ao Batalhão da Polícia Militar. Além disso, teve um encontro com prefeitos no Paço Municipal de Santos. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, se houver uma reforma no prédio que fica no Centro de Santos, este recurso será liberado apenas em 2020.

saiba antes via instagram @revistamaissantos