1.7 // ESPORTESANTOS 

Nadadora Ana Marcela Cunha em coletiva de imprensa, na Unisanta, na manhã desta quarta-feira (Isabella Graça/Mais Santos)

Por Bárbara Farias

Tetracampeã do Mundial de Esportes Aquáticos de Gwangju, na Coreia do Sul, e campeã dos Jogos Pan-americanos de Lima, no Peru, a nadadora Ana Marcela Cunha afirma que seu maior objetivo, agora, é conquistar a única medalha que ainda não tem: o ouro olímpico, em Tóquio, em 2020. Em coletiva de imprensa, na manhã desta quarta-feira (14), na Universidade Santa Cecília, a atleta disse que está confiante em mais essa conquista, a maior de sua carreira, em face dos seus resultados nas grandes competições das quais participou. Ela garante que se continuar com o desempenho que vem realizando, se puder nadar como quer, voltará ao Brasil com a medalha de ouro dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

“A gente cria as expectativas pelos bons resultados que a gente vem tendo. Eu nunca tive uma linha tão longe de resultados, sempre estar subindo ao pódio, sempre estar entre as cinco primeiras nas provas, lógico que a gente pensa muito nos jogos olímpicos porque é a maior competição do mundo e é uma medalha que falta para a gente. Depois de ter conquistado o Pan, é uma medalha que falta”, disse Ana Marcela.

A atleta ressaltou que desembarcará em Tóquio com gana de vencer e que estará focada na prova. “Eu quero chegar nos jogos olímpicos e pensar muito na minha prova, como eu quero nadar, porque eu sei que se realmente eu conseguir fazer isso, vou sair de lá com a medalha. E, com todo o respeito a todas as minhas adversárias, eu sei que das 25 que vão estar lá competindo, todas querem vencer, mas acho que dessa vez eu vou querer um pouco mais do que elas”, declarou Ana Marcela.

Na ocasião, Ana Marcela recebeu ainda uma comenda simbolizando que ela está entre os maiores atletas de maratonas aquáticas. Igor de Souza, um dos maiores nadadores do Brasil em águas abertas, entregou à nadadora o certificado e o troféu do International Marathon Swimming Hall of Fame (Hall da Fama das Maratonas Aquáticas). Igor também faz parte do Hall da Fama.

Ana Marcela Cunha fez história no Mundial de Esportes Aquáticos de Gwangju (Coreia do Sul) como a mulher com mais medalhas em todas as edições da competição; além das duas medalhas de ouro no mundial (5 e 25km de maratona aquática), Ana também foi ouro (na maratona aquática de 10km), em Lima, no Peru.

Além de Ana Marcela, participaram da coletiva, o atleta Nicholas Santos, bronze nos 50m borboleta no Mundial de Gwangju (Nicholas bateu o seu próprio recorde nessa prova) e é o nadador mais velho a ir ao pódio em mundiais, aos 39 anos; Leonardo de Deus, tricampeão pan-americano nos 200m borboleta, em Lima (Peru) e bronze nos 200m costas; e Gabrielle Roncatto, que ainda está competindo em Lima (Peru).


Histórico de Ana Marcela

Ana tem um histórico brilhante em mundiais. Em 2011 – Shangai, na China, conquistou ouro nos 25km; em 2013 – em Barcelona, na Espanha, foi medalha de prata nos 10 km e bronze nos 5km; em 2015- Kazan, na Rússia, ganhou ouro nos 25km, bronze nos 10km e a prata no revezamento; em 2017 – Budapeste, na Hungria, foi ouro – 25km e bronze, nos10km e 5km. E em 2019 – Gwangju, Coreia do Sul obteve dois ouros, nas provas de 5km e 10km. Ela é a atual líder do ranking mundial.

Maratonas Aquáticas na Unisanta – A Unisanta é reconhecida como “o maior clube de maratonas aquáticas do mundo” por reunir atletas de grande destaque da natação. A tetracampeã mundial Ana Marcela Cunha e a medalhista de bronze nas Olimpíadas do Rio 2016, Poliana Okimoto são exemplos de atletas que estão ou já passaram pela Unisanta.

A história de Ana Marcela na instituição começou há 12 anos. “Com 13 anos de idade ela chegava a Santos com sua família para estudar no Colégio Santa Cecília e participar de um projeto que já estava se desenvolvendo para estruturar e massificar a Maratona Aquática no Brasil”, afirma o Pró-Reitor Administrativo e presidente da Associação Santa Cecília de Esportes, Marcelo Teixeira.

Um sonho da inesquecível campeã Renata Agondi e de educadores e esportistas que se esforçaram e testemunharam a Unisanta se tornar referência na modalidade, resultando na conquista da única medalha olímpica da natação brasileira com a ceciliana Poliana Okimoto no Rio de Janeiro”, “Ana Marcela é um exemplo de dedicação, garra, determinação, obstinação e elevará e engrandecerá ainda mais o nome do Santa Cecília em busca de novas marcas e recordes no esporte mundial”, completa Teixeira.

 Os atletas Leonardo de Deus, Gabrielle Roncatto, Ana Marcela Cunha e Nicholas Santos (Isabella Graça/Mais Santos)

O técnico Márcio Latuf e os atletas Leonardo de Deus, Ana Marcela Cunha, Nicholas Santos e Gabrielle Roncatto, em coletiva de imprensa na Unisanta (Isabella Graça/Mais Santos)

Ana Marcela Cunha recebe o certificado e o troféu do International Marathon Swimming Hall of Fame (Isabella Graça/Mais Santos)

saiba antes via instagram @revistamaissantos