Sem categoria

ENTREVISTA: Badauí, do CPM22

colunistas-Vinicius-Willer-Carvalho

Muitos fãs do CPM 22 ficaram entusiasmados quando a cervejaria Bamberg anunciou a primeira cerveja em homenagem à banda, que além de ter sido um dos em maiores ícones de sucessos da música nacional na segunda metade da década de 90 e início do século XXI, foi uma das únicas representantes brasileiras de hardcore a conquistar um disco de ouro.

A cerveja do CPM22 poderá ser encontrada nos pontos de venda em garrafas Long Necks, de 350ml e o estilo escolhido para concretizar a parceria entre o CPM22 e a Bamberg foi uma Pilsen com uma dose caprichada de lúpulo. “Assim como a banda, esse estilo de cerveja saiu do underground e ganhou o mundo sem perder o verdadeiro espírito Hardcore”, afirma Alexandre Bazzo, mestre cervejeiro da Bamberg.

E para saber mais como foi todo o processo de concepção da primeira cerveja da carreira do CPM22, bati um papo com o Badauí, vocalista da banda que nos conta sobre os principais desafios e aprendizados encontrados durante a criação do projeto.

Por Trás da Cena – Como surgiu a ideia de produzir a cerveja do CPM22 ?
Badauí – A ideia surgiu porque eu tenho um bar, gosto de cerveja e acho que é legal, tem haver, né. O ambiente do punk rock e o público que curte esse tipo de som bebe cerveja, eu sou amante de cerveja, então nada melhor que ter uma com o nome da banda, já que tem várias bandas que tem.

Por Trás da Cena – Quais foram os desafios para encontrar um sabor que combinasse com a sonoridade da banda? Vocês já tinham algo em mente ou foram experimentando? Conte um pouco sobre o processo.
Badauí – Eu queria que fosse uma cerveja um pouco mais leve, não tão encorpada quanto uma IPA, Pale Ale, Red Ale, Strong Ale, ou então mais escura, como Porter ou Stout, porque é pra galera consumir bastante ali no show, é uma cerveja um pouco mais leve, então escolhi a Pílsen da Bamberg mesmo, que é a mesma receita da Pílsen deles, só que é engarrafada com a garrafa do CPM 22.
É uma cerveja leve pra galera tomar no show mesmo e não pra ficar degustando, mas ela é uma cerveja bem lupulada, mesmo sendo uma Pílsen, é bem melhor que várias Pílsens distribuídas pela mega multinacional que todos conhecem.

Por Trás da Cena – Mercado: você vê a cerveja do CPM22 mais como um projeto institucional para celebrar os 20 anos de carreira, ou vê mais como uma nova fonte de recursos, assim como o merchandising?
Badauí – Eu não fiz por causa dos 20 anos, eu fiz a cerveja porque é um produto a mais no nosso merchandising, vende muito no meu bar e a gente vai começar a distribui-la. A ideia é montar franquia do Cão Véio e ter em todos os bares.
Eu quero que tenha no Brasil inteiro a cerveja do CPM22 como um produto de merchandising pra colocar no mercado mesmo.

Por Trás da Cena – Desde o desenvolvimento do produto até a campanha de divulgação, lançar uma nova cerveja na praça deve ser um baita desafio. Quais foram os principais aprendizados nesse processo?
Badauí – Na verdade não teve muito processo de divulgação, foi mais nas redes sociais da banda, da Bamberg e nas do Cão Véio. E é isso aí, no boca a boca mesmo, vai entrando no mercado aos poucos e assim a gente vai espalhando por todo o país.

Por Trás da Cena – Por fim, como faz para comprar a cerveja do CPM22?
Badauí – O processo de distribuição da cerveja ainda tá no começo e a gente está acertando alguns detalhes. A princípio é a Bamberg que está distribuindo (contato@cervejariabamberg.com.br), mas a ideia é que a gente mesmo do Cão Véio a distribua.
A gente informa nos próximos dias. Abraço!

——————————————
Mais informações sobre a cervejaria Bamberg:

Microcervejaria mais premiada e umas das mais reconhecidas do país, a Bamberg completa dez anos em 2015, crescendo, inovando e se consolidando a cada ano como uma das principais produtoras de cervejas artesanais brasileiras. Atualmente soma 108 prêmios nacionais e internacionais. Fabrica hoje mais de 09 rótulos fixos, além dos 11 sazonais, e o chope – comercializado em chopeiras encontradas nas lojas Bamberg Express, com pontos em São Paulo, Votorantim, Laranjal Paulista e Campinas. Todo sábado abre suas portas para um tour semanal, levando os participantes a conhecerem os procedimentos da fabricação artesanal da cerveja e a degustarem cinco chopes direto dos tanques de maturação. A visita é guiada por Alexandre Bazzo e só pode ser agendada por meio do número de telefone (15) 3242.7685 ou pelo email contato@cervejariabamberg.com.br.

saiba antes via instagram @revistamaissantos