Variedades 

Acusação de estupro foi arquivada recentemente

O suposto caso de estupro envolvendo a modelo Najila Trindade e o jogador da seleção brasileira Neymar, teve uma reviravolta. Após o arquivamento da acusação, a Secretaria de Segurança de São Paulo indiciou Najila pelos crimes de extorsão, fraude processual e calúnia, assim como seu ex-namorado, Estivens Alves, por fraude processual e divulgação de conteúdo erótico.

Em junho deste ano, o caso veio a público e foi marcado por diversas idas do jogador a delegacia para depor. De acordo com a nota da secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) divulgada na terça-feira (10), a modelo e seu ex-companheiro, Estivens Alves, que chegou a fazer declarações sobre ela em entrevistas e divulgar material íntimo de Najila, podem responder judicialmente por fraude processual.

De acordo com as autoridades responsáveis, a modelo precisará se explicar por outras duas situações. “Após o esclarecimento da materialidade delitiva, procedida à realização das respectivas perícias e oitivas, a autoridade também decidiu pelo indiciamento de N. nos crimes de denunciação caluniosa e extorsão”, dizia a nota da SSP publicada pela revista “Veja”.

Representantes do Ministério Público e do Poder Judiciário irão apreciar os inquéritos e decidir pelo prosseguimento ou arquivamento deles. O advogado de Najila Trindade informou que só irá se manifestar após ler o relatório. A delegada Monique Lima, responsável pelo caso, notou “incongruências” nos depoimentos e provas apresentadas pela modelo.

saiba antes via instagram @revistamaissantos