Variedades 

Gestores públicos e privados do turismo podem incentivar adesão à capacitação oferecida pelo MTur, que busca aprimorar a recepção aos turistas

Equipe do Centro de Atendimento ao Turista de Boa Vista (PR) que realizou ações de mobilização para promover o BBA no estado. Crédito: Fetec 

Apenas um mês após a reabertura de inscrições para o curso de atendimento a turistas oferecido pelo Canal Brasil Braços Abertos (BBA), plataforma online totalmente gratuita do Ministério do Turismo, 10.276 alunos já participam da capacitação. O resultado é fruto de uma grande mobilização feita pelo órgão, que trabalha para conscientizar o trade turístico quanto a importância da qualificação profissional e a necessidade de se promovê-la. O cadastro de alunos no sistema pode ser feito pelo site bba.turismo.gov.br.

A Região Sudeste lidera em adesões (50,99%), seguida do Nordeste (19,09%), do Sul (16,97%), do Centro-Oeste (6,97%) e do Norte (5,19%). O maior número de alunos é de São Paulo (2.634). Na sequência, Rio de Janeiro (1.442), Minas Gerais (920), Rio Grande do Sul (676) e Santa Catarina (623). Residentes em outros países somam 81 inscritos, com destaque para Argentina (34), Venezuela (6), Portugal, Chile e Uruguai (4).

A qualificação, aberta a pessoas com mais de 15 anos, se destina a trabalhadores que já atuam ou pretendem operar no setor. O curso é realizado a partir de equipamentos conectados à internet, como computadores, tablets e smartphones, e gestores públicos e privados interessados em apoiar o acompanhamento das aulas têm a chance de firmar um termo de compromisso, disponível no canal eletrônico do BBA.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, incentiva parcerias neste sentido. “A crescente ascensão do turismo no país, a partir de várias medidas adotadas pelo governo Bolsonaro, se traduz em mais movimento nos destinos nacionais, e isso exige permanente qualificação. É fundamental que os gestores compreendam a necessidade de melhorias, para que o turismo se desenvolva de forma sustentável”, conclama.

Um exemplo de suporte vem de Boa Vista (RR). A Fundação de Educação, Turismo, Esporte e Cultura da capital promove a oferta e monitora a participação, como conta a técnica Maria Francisca Castro: “visitamos toda a rede de turismo e fizemos inscrições, esclarecendo dúvidas para que não deixem o curso. E a Prefeitura disponibilizou computador com internet nos nossos dois CATs, para as pessoas com dificuldades fazerem o curso”.

Já em São Francisco do Sul (SC), a divulgação feita pela Associação dos Quiosques e Vendedores Ambulantes dos Balneários da cidade chamou a atenção. Segundo Crisânia Dantas, integrante da entidade, o trabalho envolveu redes sociais e até a distribuição de informativos. “Usamos Facebook e WhatsApp, e os associados compartilharam. Também distribuímos cartazes na praia, o que aumentou a procura por informações”, relata.

 

 

saiba antes via instagram @revistamaissantos