Variedades 

Tratamento realiza uma reprogramação mental no paciente, fazendo com que adquira hábitos mais saudáveis

A sensação de patinar na vida pessoal e profissional é comum às pessoas. Muitos já perceberam que repetem padrões, comportamentais de uma vida inteira, como se estivessem atuando em um filme no qual já soubessem o final. Por exemplo: indivíduos que dependem financeira e afetivamente de terceiros e não conseguem sair desse ciclo, saltando de um provedor a outro. Ou que estão sempre se relacionando amorosamente com parceiros abusivos – ciumentos, violentos, controladores etc.

São pessoas que já detectaram seus hábitos problemáticos, estão cansadas de repeti-los, mas não encontram forças para modificar o quadro sozinhas. De acordo com a hipnoterapeuta Juliana Casagrande, nesse sentido, o t0ratamento terapêutico por meio da hipnose é de grande valia, afinal tem como intuito fazer uma ressignificação no paciente que sofre com estes comportamentos limitantes. Por meio da hipnoterapia, é possível adquirir hábitos mais saudáveis em busca de prosperidade afetiva e financeira.

Para compreender como isso é possível, primeiramente é preciso ter ciência que a hipnoterapia pretende atuar no plano subconsciente da mente humana, lugar, segundo ela, onde a memória da vida inteira é armazenada, as emoções são processadas e os hábitos adquiridos. Em suma, região da mente que condiciona o modo de agir do ser humano sem que ele perceba.

Juliana explica que o subconsciente trabalha sempre para proteger o indivíduo, seja de perigos reais ou seja de perigos imaginários. De fato, o subconsciente não difere o real do imaginário.

Assim, os diversos acontecimentos que se repetem nas vidas das pessoas, responsáveis por torna-las infelizes, e o medo de mudar dependem desse modo de atuação da mente. “Todas essas situações e muitas outras ocorrem porque existe uma programação no subconsciente informando que é seguro agir dessa forma, fazendo com que, por mais que você queira, não consiga modificar o cenário”, explica a hipnoterapeuta.

Outro ponto inerente ao subconsciente e que dificulta a mudança de atitude perante a vida é a tendência a um certo conservadorismo dessa mente profunda, ou seja, a predisposição em manter as coisas como estão, criando barreiras para a aceitação do novo. Necessariamente tudo que não está em conformidade com a programação que a pessoa tem de si é rejeitado. Já, aquilo que reforça a imagem que a pessoas tem de si é aceito com facilidade. Por isso, de acordo com a hipnoterapeuta, é muito difícil a sugestão positiva penetrar o subconsciente.

Para tentar lutar contra essa tendência, Juliana sugere que as pessoas comecem a prestar mais atenção em seus pensamentos e no que dizem a si próprias. “Se você perceber que está expressando palavras negativas, de qualquer tipo, pare no meio da sentença. Simplesmente a abandone ou reformule-a”, diz.

A hipnoterapeuta recomenda que as pessoas façam uma lista das situações que a deixam descontentes e que desejam modificar e as substituam por propostas construtivas. “As afirmações negativas servem apenas para criar mais daquilo que não deseja. Já afirmações positivas abrem o canal do subconsciente para que as transformações aconteçam”, atesta.

Mesmo assim a dificuldade em realizar as modificações persiste e isso se deve ao que a hipnoterapia chama de fator crítico da mente. Ele recebe ordens conservadoras do subconsciente, recomendando que coloque em espera qualquer sugestão positiva (modificação de comportamento) que venha da própria pessoa ou de uma fonte externa. Diante dessa espera, recorre-se a força de vontade, que, inevitavelmente, falha. Os velhos comportamentos e atitudes retornam, deixando a pessoa ainda mais infeliz, por ter tentado e não conseguido.

A transformação só não ocorre porque não foi realizada no subconsciente, que continua a fornecer os mesmos padrões de comportamento à pessoa. Conforme Juliana, nesse ponto, a ajuda do tratamento hipnoterapeutico é muito importante. Através dele é possível atravessar o fator crítico da mente e sugerir a modificação fazendo com que ela seja aceita pelo subconsciente.

Deve-se destacar que ao entrar em transe hipnótico a pessoa não fica inconsciente. Muito pelo contrário, encontra-se extremamente alerta, com seus sentidos aguçados, pronta para ouvir de forma clara as recomendações do hipnoterapeuta. Para que estas sejam incorporadas pelo subconsciente, durante a sessão de hipnoterapia, o paciente necessita ter uma atitude positiva diante do que foi sugerido, seguir as instruções, aceitar e acreditar que funcionara.

Para garantir a eficácia da terapia, é preciso que a pessoa permaneça com a atitude mental correta que é a de eu sei que vai funcionar e eu estou disposto a assumir o controle da minha vida. Por isso, Juliana recomenda que as pessoas sejam mais assertivas em suas declarações, empregando sempre o tempo presente. “A mente subconsciente é tão obediente que se a pessoa empregar o verbo no tempo futuro, como ‘serei’ ou ‘terei’, é no futuro, fora do alcance, que o desejado permanecerá”, explica.

Por fim, a hipnoterapeuta explica que, seja o que for que as pessoas estejam tentando mudar em suas vidas, elas precisam entender que estes problemas são apenas consequências e que tentar eliminá-los sem trabalhar a dissolução da causa é inútil. “Por meio da hipnoterapia nós conseguimos encontrar a causa inicial dos sintomas e ressignificá-los para que desapareçam”, conclui.

saiba antes via instagram @revistamaissantos