PUBLICIDADE

- INVIS√ćVEL

A bela Ancona entre colinas e o mar

Na √ļltima edi√ß√£o, adentramos o mar Adri√°tico rumo a Gr√©cia. Me comprometi a relembrar os cen√°rios, atados √†s emo√ß√Ķes, aqu√©m dos triviais pontos tur√≠sticos. Neste momento, Veneza ficou. O cora√ß√£o indaga por respostas, longe, o canto enf√°tico de uma ave presume bons press√°gios.¬†Por qu√™ a sombra do Titanic persegue?¬†Da varanda do navio, as ondas se configuram numa express√£o de paz e saudade.¬†A chegada a Ancona deu-se num piscar.O comandante delegou poucas horas ali, tempo de novos passageiros juntarem-se √† embarca√ß√£o, e um bate e volta r√°pido pelo Centro. Ningu√©m se animou em me acompanhar, contudo Ancona me chamava.

A bela Ancona entre o belo mar

A bela Ancona entre o belo mar

Sozinha, resolvi desvendar um peda√ßo daquela hist√≥ria. A cidade foi constru√≠da pelos gregos sobre duas colinas,no s√©culo IV A.C., mas v√°rias edifica√ß√Ķes urgiram ser restauradas, depois dos bombardeios da Segunda Guerra Mundial.

Do porto, percorri a p√© a colina Colle Guasco, a mais antiga do povoado. Num olhar andarilho, incitado pelo desconhecido percorri ladeiras sinuosas, cal√ßadas por paralelep√≠pedos, que me remeteram √† inf√Ęncia. Avistei vitrines de grifes e pessoas elegantes de todas as idades. Sem mapa, apelei pelo dialeto, inventado por mim, quando estou na It√°lia. Misturo espanhol, portugu√™s, mais timbre italiano e a comunica√ß√£o funciona. Assim, obtive o trajeto mais curto, at√© a medieval arquitetura da Catedral de San Ciriaco, preservada nos estilos rom√Ęnico e g√≥tico. Estonteante!

Devo ter imã acoplado porque acabo sempre atraída por compras. Numa das travessas, me deparei com uma extensa feira,repleta de comidas típicas, roupas, sapatos artesanais e objetos para casa. Gastei minutos preciosos bisbilhotando tudo. Teria ainda tantos lugares para me aventurar naquele paraíso, que prometi retornar, um dia.Decepcionada com o relógio apressado refiz o caminho de volta, a passo cortado para reparar direito nas encostas sobre aquele mar infinitamente azul, de junho. Próxima parada, Dubrovnik, na Croácia.