PUBLICIDADE

- INVIS√ćVEL

Ap√≥s declara√ß√Ķes sobre Haiti e Africa, Trump diz n√£o ser racista

O presidente americano, Donald Trump, afirmou no domingo (14) que n√£o √© racista, depois da onda de indigna√ß√£o causada por suas declara√ß√Ķes sobre a imigra√ß√£o de cidad√£os de “pa√≠ses de merda”. “N√£o sou racista. Sou a pessoa menos racista que voc√™s j√° entrevistaram. Isso eu posso afirmar para voc√™s”, disse o presidente aos jornalistas reunidos no Trump International  Golf  Club de West Palm Beach, na Fl√≥rida, onde jantava com o l√≠der da bancada republicana da C√Ęmara de Representantes, Kevin McCarthy.

Na quinta-feira passada, durante uma reuni√£o na Casa Branca com congressistas republicanos e democratas sobre a reforma migrat√≥ria, o presidente teria chamado pa√≠ses africanos e os latino-americanos Haiti e El Salvador de “pa√≠ses de merda”.

Na sexta, Trump se defendeu e negou, no Twitter, ter-se referido aos pa√≠ses dessa forma, como noticiaram os jornais “The Washington Post” e “The New York Times”. Um senador do Partido Democrata que participou do encontro confirmou., por√©m, as declara√ß√Ķes do presidente.

Na Flórida, o presidente também se referiu aos esforços para chegar a um acordo sobre a reforma migratória.

“Estamos prontos, dispostos e em condi√ß√Ķes de chegar a um acordo sobre o DACA”, disse Trump, referindo-se ao programa A√ß√£o Diferida para os Chegados na Inf√Ęncia, que protege os imigrantes que chegaram em condi√ß√£o ilegal aos Estado Unidos quando ainda eram crian√ßas.

“N√£o acredito que os democratas queiram chegar a um acordo. Os benefici√°rios do DACA deveriam saber que os democratas s√£o os que n√£o v√£o chegar a um acordo”, alfinetou.

Segundo ele, os congressistas democratas “n√£o querem seguran√ßa na fronteira”.

“Tem gente entrando aos montes. N√£o querem deter as drogas e querem tirar dinheiro dos nossos militares, algo que n√£o podemos fazer”, acrescentou.

Fonte: UOL