PUBLICIDADE

- INVISÍVEL

CUT manda ultimato a Dilma em protesto com baixa adesão

Representantes de centrais sindicais e movimentos populares deram uma espécie de ultimato ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT) nesta terça-feira, em São Paulo: em protesto pelas ruas do centro da cidade, elas rechaçaram o projeto de lei 4330/2004, que deve ser votado hoje na Câmara dos Deputados, e prometeram ir para as ruas “massivamente” caso a presidente sancione a proposta.

O projeto regulamenta contratos de terceirização no mercado de trabalho e torna possível que quaisquer atividades-fim sejam submetidas a essa forma de contratação. Uma vez aprovada na Câmara, a matéria ainda segue para votação no Senado.

O ato na capital paulista reuniu cerca de 1 mil pessoas, segundo a Central Única dos Trabalhadores, principal organizadora do evento, e 400, pelos cálculos da Polícia Militar. Ainda que mais que o dobro da estimativa da PM, o número divulgado pela entidade sindical representa 1% dos 100 mil manifestantes que a CUT afirma ter levado à Avenida Paulista no ato do último dia 13 de março – dois dias antes da passeata contra o governo, também na Paulista.