PUBLICIDADE

- INVISÍVEL

Paraense faz desperdício virar salgado e fatura R$ 300 mil

Cerca de três anos atrás, Maria Ferreira Sousa da Cunha ganhava a vida comprando bananas de produtores da região de Trairão (PA), onde mora, e revendendo-as para outras localidades. Boa parte das frutas, porém, era descartada por amassar durante o transporte. Ao procurar um jeito de aproveitar o que ia para o lixo, ela encontrou um negócio muito mais lucrativo: fritar as bananas e transformá-las em salgado, parecido com batata-chips. Nascia assim a Bananita, que hoje fatura cerca de R$ 300 mil anuais.

“Tentei fritar em uma panela, mas era muito difícil. Deixei a ideia de lado por um tempo até que, meses depois, uma amiga me vendeu uma fritadeira elétrica. Quando testei a produção nela, ficou excelente”, lembra a empresária, conhecida como Dona Morenita.