PUBLICIDADE

- INVISÍVEL

Prisão de top model mais famosa no Paquistão gera polêmica

Há duas semanas, a prisão Adiala, em Rawalpindi, abriga uma detenta peculiar: a top model paquistanesa Ayyan Ali, de 23 anos.

Ela foi presa em 14 de março no aeroporto de Islamabad, acusada de lavagem de dinheiro: os US$ 500 mil em sua mala excediam o limite legal de dinheiro que pode ser transportado para fora do país, estipulado em US$ 10 mil.

A modelo nega a acusação e diz que o dinheiro foi adquirido legitimamente com a venda de imóveis e que ela não tinha conhecimento das regras aduaneiras.

adiala

Promotores disseram que, se condenada por tráfico de divisas, a modelo pode ser obrigada a pagar uma multa pesada e enfrentar uma pena de prisão de 14 anos.

Após duas semanas de disputas legais, um pedido de fiança foi negado no final de março e Ayyan Ali deve permanecer presa por mais tempo.

A imprensa paquistanesa tem especulado se ela está sendo favorecida dentro da prisão. Presídios paquistaneses são conhecidos por terem uma “cultura VIP”.

Um jornal sugeriu que ela está num quarto mobiliado com TV e geladeira, além de usar um vestido novo a cada dia e teria recebido um tipo especial de celular que consegue burlar o sistema do presídio que impede ligações.