PUBLICIDADE

- INVISÍVEL

Servidor nega ter soltado ratos em CPI

11136538_783635461749540_472142504_o

Roedores foram soltos durante sessão da CPI da Petrobras

O servidor da Câmara dos Deputados Márcio Martins Oliveira negou, em depoimento à Polícia Legislativa, ter soltado ratos na CPI da Petrobras. Ele foi liberado e deverá responder na Justiça por tumulto em ato público, uma contravenção penal de menor poder ofensivo.

Oliveira foi detido depois de cinco roedores terem sido soltos no plenário da Câmara dos Deputados, quando o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, chegava para prestar depoimento. Ele ocupa um cargo especial na segunda vice-presidência da Casa e será exonerado.

Antes de assumir o cargo, Oliveira foi secretário legislativo do oposicionista Paulo Pereira da Silva (SD-SP), o Paulinho da Força, que articula um abaixo assinado para pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff.