PUBLICIDADE

Brasil / Cotidiano

Argentina vence Brasil na Copa América e quebra jejum de títulos

Da Agência Brasil

Pela primeira vez desde 1993, a sele√ß√£o principal da Argentina conquistou um t√≠tulo. E foi em grande estilo. Na final da Copa Am√©rica, em pleno Maracan√£, Messi e companhia derrotaram o Brasil por 1 a 0 e encerraram um jejum que atravessou gera√ß√Ķes. O gol de Di Maria possibilitou aos argentinos conquistarem o seu 15¬ļ trof√©u na competi√ß√£o, igualando-se ao Uruguai como maior vencedor na hist√≥ria.

O lance crucial da partida aconteceu aos 21 minutos da primeira etapa. De Paul fez longo lançamento pela direita. Renan Lodi aparentemente tinha a situação sob controle, mas errou o tempo para cortar a bola, que ficou limpa para Di Maria. Ele entrou na área e com um toque encobriu o goleiro Ederson.

Pouco inspirado, o Brasil só foi encontrar um melhor futebol e melhores chances na segunda etapa. Richarlison, em jogada pela direita, chegou a marcar, mas foi identificado impedimento do atacante no início da jogada.

Na reta final, Gabriel Barbosa, uma das v√°rias substitui√ß√Ķes do t√©cnico Tite, pegou uma sobra de levantamento pela esquerda e chutou forte, mas o goleiro Martinez colocou para escanteio.

A Argentina também teve a chance de matar o jogo, mas o craque Lionel Messi, ao receber dentro da área, de cara para o gol, se enrolou tentando driblar o goleiro Ederson.

O lance desperdi√ßado acabou n√£o fazendo falta, j√° que pouco depois a Argentina confirmou o triunfo e um t√≠tulo hist√≥rico, muito comemorado pelos atletas em campo e pelos torcedores argentinos que compareceram ao Maracan√£ (a prefeitura do Rio liberou a presen√ßa de 10% de p√ļblico).

A sele√ß√£o argentina voltou a comemorar um t√≠tulo com sua equipe profissional (foi campe√£ ol√≠mpica em 2004 e 2008) depois de 28 anos. A √ļltima conquista havia sido justamente em uma Copa Am√©rica, em 1993, quando derrotou o M√©xico na decis√£o da edi√ß√£o sediada pelo Equador.

Para Messi, o triunfo no Maracanã representou o primeiro troféu pelo país, depois de derrotas nas finais das Copas Américas de 2007, 2015 e 2016 e também na decisão da Copa do Mundo de 2014, curiosamente disputada também no estádio carioca.

Foto: Divulgação/Conmebol