PUBLICIDADE

Brasil / Cotidiano

Vacina√ß√£o de refor√ßo contra Covid-19 deve come√ßar por idosos, diz Minist√©rio da Sa√ļde

Da Agência Brasil

A aplica√ß√£o da terceira dose de vacinas contra a covid-19 dever√° come√ßar por idosos e profissionais de sa√ļde. A informa√ß√£o √© do ministro da Sa√ļde, Marcelo Queiroga, durante entrevista √† imprensa, nesta quarta-feira (18), para explicar a metodologia para harmonizar a distribui√ß√£o de imunizantes para os estados e o Distrito Federal.

O ministro, no entanto, destacou que para iniciar a dose de refor√ßo ainda s√£o necess√°rios mais dados cient√≠ficos para que o Minist√©rio da Sa√ļde possa organizar a sua aplica√ß√£o. ‚ÄúPlanejamos, no momento que tivermos todos os dados cient√≠ficos e tivermos o n√ļmero de doses suficiente dispon√≠vel, j√° orientar um refor√ßo da vacina√ß√£o. Isso vale para todos os imunizantes‚ÄĚ.

Distribuição de vacinas

Ao explicar a metodologia de distribui√ß√£o de imunizantes, Queiroga disse que cabe ao minist√©rio equilibrar a distribui√ß√£o de vacinas entre os estados e o Distrito Federal. O ministro ressaltou a import√Ęncia dos entes federados observarem o intervalo entre as doses, que varia de acordo com o cada imunizante.

‚Äú√Č fundamental que se observe o intervalo de vacina√ß√£o entre as doses, para que possamos entregar as vacinas com a pontualidade desejada. Porque, se cada estado, cada munic√≠pio, resolver fazer a sua pr√≥pria regra, o Minist√©rio da Sa√ļde n√£o consegue entregar as vacinas com a tempestividade devida e isso atrasar√° a nossa campanha nacional de imuniza√ß√£o‚ÄĚ, disse.

De acordo com o ministério, as doses são enviadas aos estados levando em consideração a população, acima de 18 anos, que ainda não foi vacinada em cada unidade da Federação.

‚ÄúVamos fazer o poss√≠vel para que essa distribui√ß√£o ajustada garanta uma maior homogeneidade na vacina√ß√£o em todas as unidades da Federa√ß√£o. O compromisso que o governo federal tem √© com cada um dos 210 milh√Ķes de brasileiros. Se imunizarmos a popula√ß√£o vacin√°vel, todos v√£o se beneficiar com a imunidade que ser√° proporcionada‚ÄĚ, afirmou o ministro da Sa√ļde.

Critérios

Para enviar as doses nesse formato, o Minist√©rio da Sa√ļde informou que fez um levantamento com base em dois crit√©rios: as vacinas para a primeira dose j√° enviadas para cada estado, desde o come√ßo da campanha de vacina√ß√£o, e a estimativa da popula√ß√£o acima de 18 anos de cada unidade da federa√ß√£o.

‚ÄúO Minist√©rio da Sa√ļde, em momento nenhum, mudou a metodologia. A diferen√ßa √© que temos que obedecer um princ√≠pio maior, que rege toda a gest√£o do SUS [Sistema √önico de Sa√ļde], que se chama equidade. Ela tem que ser sempre buscada e preservada. O Minist√©rio da Sa√ļde tem a obriga√ß√£o de olhar para todos os brasileiros da mesma forma, independentemente da unidade federativa‚ÄĚ, disse a secret√°ria de Enfrentamento √† Covid-19 do Minist√©rio da Sa√ļde, Rosana Leite de Melo.

De acordo com o minist√©rio, a medida foi acordada entre representantes da Uni√£o, estados pelo Conselho Nacional de Secret√°rios de Sa√ļde (Conass) e munic√≠pios pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Sa√ļde (Conasems), ap√≥s a conclus√£o do envio de vacinas para imunizar todos os 29 grupos priorit√°rios definidos pelo Plano Nacional de Operacionaliza√ß√£o da Vacina√ß√£o contra a Covid-19 (PNO).

O ministério informou ainda que o ajuste na distribuição não impactará na distribuição das vacinas para a segunda dose, já que todos os estados continuarão recebendo o quantitativo necessário para completar todos os esquemas vacinais.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil