PUBLICIDADE

Região / Polícia

Derrite afirma que s√©timo morto na Opera√ß√£o Escudo chefiava o tr√°fico de morro em Santos; “ao inv√©s de se entregar, atirou contra os policiais”

O homem, de 28 anos, morreu no √ļltimo domingo (4), no morro, ap√≥s ser atingido com tiros de fuzil.¬†

 

Foto: Instagram / Guilherme Derrite

Da redação 

O secret√°rio de Seguran√ßa P√ļblica do Estado de S√£o Paulo, Guilherme Derrite, publicou nas redes sociais que o s√©timo morto na nova Opera√ß√£o Escudo, na Baixada Santista, era respons√°vel pelo tr√°fico no Morro S√£o Bento, em Santos. O homem, de 28 anos, morreu no √ļltimo domingo (4), no morro, ap√≥s ser atingido com tiros de fuzil.

Segundo Derrite, os bandidos ostentavam armas nas redes sociais. ‚ÄúAs imagens publicadas por criminosos localizados durante a opera√ß√£o na Baixada Santista mostram o quanto eles se sentiam √† vontade para ostentar as atividades do crime perante √† popula√ß√£o‚ÄĚ, escreveu.

O secret√°rio tamb√©m comentou que ele reagiu √† abordagem policial. ‚ÄúEsse indiv√≠duo da foto foi morto em um confronto com a Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) porque, ao inv√©s de se entregar, atirou contra os policiais. Foi abordado e, ao descer do ve√≠culo, sacou a arma de fogo. A realidade de locais onde o crime organizado tenta tomar territ√≥rio √© bem diferente do que podem imaginar os que nunca l√° pisaram, sequer para conhecer a situa√ß√£o, quem dir√° disposto a combat√™-la‚ÄĚ, falou.

Sétima morte 

O caso ocorreu no √ļltimo domingo (4), na Rua S√£o Crist√≥v√£o, no Morro S√£o Bento. O suspeito foi atingido por tiros de fuzil de agentes da equipe de Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), enquanto estava dentro de um carro de aplicativo.

Segundo o Boletim de Ocorr√™ncia (BO), os PMs foram informados de que um traficante estava em um carro pr√≥ximo ao T√ļnel Rubens Ferreira Martins. Assim que chegaram no local, os policiais viram o ve√≠culo e come√ßaram a segui-lo.

Os policiais mandaram o motorista do carro parar. Conforme o BO, ele parou o carro e saiu do veículo. Já o passageiro, que estava no banco da frente, apontou uma arma para os policiais, que contra-atacaram.

No total, foram sete tiros de fuzil disparados pelos policiais. O suspeito estava com uma pistola calibre 380 no colo. Em seguida, o indivíduo foi levado à Santa Casa de Santos, mas não resistiu.

O caso foi registrado como morte decorrente de intervenção policial e tentativa de homicídio na Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Santos, que solicitou exames ao Instituto de Criminalística (IC) e ao Instituto Médico Legal (IML).

 

Operação Escudo 

Foto: Reprodução

A a√ß√£o policial foi retomada no dia 26 de janeiro, ap√≥s a morte do soldado da Pol√≠cia Militar (PM), Marcelo Augusto da Silva, de 28 anos. O agente era de S√£o Paulo, do 38¬ļ Batalh√£o de Pol√≠cia Militar Metropolitano, mas trabalhava em Praia Grande, na Opera√ß√£o Ver√£o. Ele foi morto quando voltava para casa. Segundo a Secretaria de Seguran√ßa P√ļblica (SSP), policiais militares rodovi√°rios foram acionados para atender a ocorr√™ncia e encontraram a v√≠tima ferida, ao lado de uma motocicleta. O resgate esteve no local e constatou o √≥bito.

No fim da tarde da √ļltima sexta-feira (2), o soldado da Pol√≠cia Militar (PM), Samuel Wesley Cosmo, foi morto na Avenida Brigadeiro Faria Lima, no bairro Bom Retiro, na Zona Noroeste.

Segundo a SSP, Cosmo foi atingido no olho, socorrido e levado à Santa Casa de Santos, onde passou por cirurgia, mas não resistiu. Após o ocorrido, a Operação Escudo teve reforço, para localizar e prender os envolvidos na morte dele.

Durante o fim de semana, três pessoas morreram na Vila dos Criadores, uma no Morro do São Bento e as outras duas nos bairros São Jorge e Bom Retiro, em Santos. Além disso, um indivíduo morreu no Jóquei Clube, em São Vicente. Cinco pessoas foram presas. De acordo com a SSP, todos os indivíduos possuíam passagens por crimes como tráfico de drogas, furto e roubo.

Foto: Reprodução

A primeira Operação Escudo aconteceu no ano passado, após a morte do Soldado da Equipe de Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), Patrick Bastos Reis. A ação policial durou 40 dias e teve o objetivo de sufocar o tráfico de drogas e combater o crime organizado. Ao todo, 805 pessoas foram presas, sendo 311 foragidas da Justiça.

Também foram apreendidas 96 armas, entre pistolas e fuzis, e 939,3 kg de drogas. 28 pessoas foram mortas.

Saiba tudo sobre a Operação Escudo aqui no link.