PUBLICIDADE

Região / Polícia

Opera√ß√£o Ver√£o se aproxima da Opera√ß√£o Escudo no n√ļmero de mortos na Baixada Santista

A ação policial já conta com 27 mortos, faltando apenas um para chegar na operação de 2023, com 28 mortes. 

 

Foto: Folhapress 

Por Vinícius Farias 

Em 11 dias, a Opera√ß√£o Ver√£o se aproxima do n√ļmero de mortos da Opera√ß√£o Escudo, na Baixada Santista. A a√ß√£o policial j√° conta com 27 mortos, faltando apenas um para chegar na opera√ß√£o de 2023, que durou 40 dias e teve 28 √≥bitos.¬†

A Operação Escudo, do ano passado, começou após a morte do soldado da equipe de Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), Patrick Reis, na Vila Zilda, em Guarujá, no final de julho. Além de Reis, que foi baleado no tórax, outro agente foi ferido, mas na mão esquerda. Ele foi conduzido ao Hospital Santo Amaro (HSA), onde realizou um procedimento e foi liberado.

Erickson David da Silva, conhecido como “Deivinho” foi preso ap√≥s se entregar na noite de 30 de julho, na Capital. Ele √© acusado de matar o agente.¬†

No período, as forças policiais apreenderam quase 1 tonelada de drogas. Também foram retiradas das mãos de criminosos 119 armas ilegais, incluindo fuzis e submetralhadoras. 976 criminosos foram presos, sendo que desse total, 388 estavam foragidos. Outros 70 adolescentes infratores foram apreendidos.

Já na terceira fase da Operação Verão, que teve início no dia 7 de fevereiro de 2024, 645 criminosos foram presos, incluindo 242 procurados pela Justiça. Foram apreendidos cerca de 155 kg de drogas e 77 armas ilegais, incluindo fuzis de uso restrito. 

A a√ß√£o policial acontece ap√≥s a morte do soldado da Rota, Samuel Wesley Cosmo, no dia 2 de fevereiro, em Santos. Ka√≠que Coutinho do Nascimento, conhecido como “Chip”, de 21 anos, foi preso em Uberl√Ęndia, Minas Gerais, e √© acusado de matar o agente.¬†