PUBLICIDADE

1.0 - SANTOS

Deputado apresenta pedido de esclarecimentos de serviços em estradas

O deputado estadual, Paulo Corrêa. Jr (PATRI), protocolou, na Assembleia Legislativa (Alesp), um pedido para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a administração, concedida à concessionária, Ecovias, desde 1998, sendo a empresa responsável pela exploração e manutenção do sistema rodoviário.

Segundo o parlamentar, o intuito da CPI é entender algumas questões que não são esclarecidas há anos para a população, como por exemplo o constante aumento no preço do pedágio e onde esse dinheiro está sendo aplicado, mesmo após 21 anos de administração da empresa.

Outra questão a ser apurada são os critérios, que segundo ele, são obscuros, usados para implantar as operações Comboio, Descida e Subida.

“Nunca entendi como uma operação, que foi feita para ajudar a população, na verdade mais atrapalha, principalmente os moradores da Baixada Santista, que ficam horas presos no Sistema”, contou.

Na opinião do deputado, não tem sentido os ônibus fretados que transportam cerca de 4.500 pessoas, entre estudantes e trabalhadores, subirem pela pista da Imigrantes e serem proibidos de fazer o percurso inverso pela mesma rodovia.

Pagamos o pedágio mais caro do Brasil. Por essa razão, decidi apresentar essas questões e instaurar essa CPI. Sou morador da Baixada Santista e trafego quase que diariamente pelo Sistema Anchieta-Imigrantes. Assim como eu, os cidadãos têm diversas dúvidas e precisam receber esclarecimentos. Por isso pretendo pedir alguns contratos da empresa para analisar tudo o que vem sendo feitos nesses últimos anos”, concluiu.

Além de protocolar o pedido –  um requerimento foi apresentado à Alesp, pedindo que o diretor geral da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP), Giovanni Pengue Filho, responda como é feita a gestão do Sistema Ancheita Imigrantes (SAI) junto a ECOVIAS.

O deputado estadual também solicitou uma cópia do contrato de concessão, bem como os demais documentos aditivos existentes.

A Ecovias informou que não foi comunicada oficialmente sobre o pedido de abertura de CPI mas está, como sempre esteve, à disposição para prestar qualquer esclarecimento que lhe for solicitado.

A concessionária lembrou que suas operações são catalogadas e aprovadas pelo órgão regulador e que a tarifa de pedágio cobrada é contratual e definida pela Artesp sempre com base nos índices que medem a inflação. Cabe lembrar ainda que, ao longo destes 20 anos à frente do Sistema Anchieta-Imigrantes, a concessionária sempre buscou prestar um serviço de excelência, com a realização de obras que mudaram o patamar das viagens entre São Paulo e a Baixada Santista – como a Pista Descendente da Imigrantes e Anel Viário de Cubatão – e a redução progressiva nos índices de acidentes e mortes nas rodovias.