PUBLICIDADE

Santos / Festas Populares

Apuração do desfile das escolas de samba de Santos acontece nesta terça-feira; confira um resumo dos desfiles

Apura√ß√£o do desfile das escolas de samba de Santos acontece nesta ter√ßa-feira; confira um resumo dos desfiles. Os desfiles aconteceram na √ļltima sexta-feira (2) e s√°bado (3). A √ļltima campe√£ do carnaval santista foi a Unidos dos Morros.

Foto: Prefeitura de Santos

Fotos: Vinícius Farias / Mais Santos

Da redação

A apura√ß√£o do desfile das escolas de samba do Santos Carnaval 2024¬†acontece nesta ter√ßa-feira (6), √†s 12h, no Teatro Municipal Br√°s Cubas. O evento aconteceu na √ļltima sexta-feira (2) e s√°bado (3).

A √ļltima campe√£ do carnaval santista foi a Unidos dos Morros, com ¬†179,9 pontos, trazendo o samba-enredo em homenagem ao empres√°rio Arm√™nio Mendes.

Confira quem desfilou

Sexta-feira (2) РGrupo de Acesso: 

Padre Paulo

Foto: Prefeitura de Santos

Abrindo a passarela, a Padre Paulo prestou homenagem ao maracatu, manifesta√ß√£o cultural de Pernambuco, combinando tradi√ß√Ķes africanas, portuguesas e ind√≠genas, at√© seu hist√≥rico de resist√™ncia ao representar as lutas do povo e sua grandiosidade cultural, religiosa e ancestral.

Bandeirantes do Saboó

Foto: Prefeitura de Santos

Com o enredo ‚ÄėUma Doce Magia‚Äô, a Bandeirantes do Sabo√≥ trouxe uma hist√≥ria sobre o mundo da confeitaria. A agremia√ß√£o levou¬† 700 integrantes divididos em dez alas.

Vila Mathias

Foto: Prefeitura de Santos

Na sequência, a Vila Mathias entrou em cena, com um tributo à Faculdade do Samba, como é conhecida a Barroca Zona Sul, agremiação da Capital com origem na Vila Mariana. A escola trouxe 600 componentes em 14 alas.

Grupo Especial 

Unidos da Zona Noroeste

Foto: Prefeitura de Santos

Abrindo o Grupo Especial, a atual campe√£ do Grupo de Acesso, a Unidos da Zona Noroeste, que trouxe¬† um tributo √† classe dos caminhoneiros. A ideia era valorizar a luta di√°ria desses trabalhadores pelas estradas Brasil afora e seu fundamental papel para o desenvolvimento do Pa√≠s. Os desafios di√°rios, a devo√ß√£o ao padroeiro S√£o Crist√≥v√£o, o anseio de reencontrar a fam√≠lia e dar a ela uma condi√ß√£o melhor. O n√ļmero de alas foi 14.

Uni√£o Imperial

Foto: Prefeitura de Santos

A Uni√£o Imperial veio logo depois, com uma homenagem √† resist√™ncia negra em Santos. A escola, que busca de seu 11¬ļ t√≠tulo, teve 1.400 componentes divididos em 14 alas.

X-9

Foto: Prefeitura de Santos

Nem tudo foi perfeito. A maior vencedora de títulos da Cidade, a agremiação X-9 entrou na sequência, com  13 minutos de atraso, por conta do eixo do carro acoplado ao abre-alas, que quebrou e não fez parte do desfile. No entanto, a agremiação do Macuco entrou com determinação.

Com o enredo ‚ÄėMeu Nome √Č Favela‚Äô,¬† a X-9 levou para a avenida um peda√ßo do Brasil que nem todos conseguem enxergar, abordando a resist√™ncia dessas comunidades √† indiferen√ßa e √† desigualdade, mas exaltando sua garra e a beleza de um mosaico de cores, culturas, talentos e diversidade em busca de seu espa√ßo no asfalto.

A escola contou com 2 mil componentes e três carros alegóricos, divididos em 16 alas.

Real Mocidade

Foto: Prefeitura de Santos

Para finalizar a primeira noite, a Real Mocidade. Com o enredo ‚ÄėOxente, Real Mocidade, Santista! Elba, a sua hist√≥ria faz hist√≥ria. Ai que saudade d‚Äôoc√™!‚Äô, a agremia√ß√£o homenageou uma das grandes artistas da m√ļsica brasileira: Elba Ramalho, com¬† grandes sucessos que marcam seus mais de 50 anos de carreira. Foram 1.200 componentes divididos em 13 alas al√©m de tr√™s carros aleg√≥ricos.

Sábado (3) РGrupo de Acesso: 

Imperatriz Alvinegra 

Foto: Prefeitura de Santos

Quem abriu a passarela do samba no s√°bado (3) foi a Imperatriz Alvinegra, que prestou um tributo √† coirm√£, X-9, que completa 80 anos em 2024, com o enredo ‚ÄėUma epopeia gloriosa ‚Äď X9 a Pioneira‚Äô. A comiss√£o de frente, vestida com a camiseta da X-9, veio com um empolgante bal√©. A agremia√ß√£o de S√£o Vicente trouxe a malandragem para a pista, o pavilh√£o da X-9 e o S√£o Jorge matando o drag√£o.

Império da Vila 

Foto: Prefeitura de Santos

Na sequ√™ncia, quem dominou a passarela foi a Imp√©rio da Vila, que com ¬†700 componentes, divididos em 11 alas, levaram para o samb√≥dromo a hist√≥ria dos nordestinos que migraram para Cubat√£o, na d√©cada de 70, com o tema “Os imigrantes no ‘Vale da Vida’, Cubat√£o uma nova hist√≥ria”

Drag√Ķes da Castelo¬†

Foto: Prefeitura de Santos

Em seguida, a Drag√Ķes da Castelo deu as caras. A agremia√ß√£o levou √† passarela 11 alas, com 700 integrantes. A escola apresentou o enredo ‚ÄėO Maioral do Samba – Daniel Feijoada‚Äô, contando a hist√≥ria de um dos sambistas mais celebrados da Cidade, o saudoso Daniel Dias do Nascimento, mais conhecido como Daniel Feijoada.¬†O enredo “Oi zum, zum, zum a poeira vai subir / Deixa o samba te levar” movimentou arquibancadas.

Daniel foi um estivador e, no mundo do samba, foi baliza, passista, batuqueiro, porta-estandarte, compositor e partideiro, come√ßando na extinta Novo Horizonte e depois consagrando-se na ‚ÄėCampeon√≠ssima‚Äô Brasil. Passagens referentes a sua vida foram retratadas em um painel, durante o desfile.

Grupo Especial 

Mocidade Independência

Foto: Prefeitura de Santos

Iniciando o Grupo Especial do segundo dia de desfiles, a Mocidade Independ√™ncia encantou o p√ļblico ao representar a riqueza das manifesta√ß√Ķes culturais nordestinas com o enredo ‘Festan√ßa no Mangang√° – Em uma noite de folia, √© o forr√≥ que contagia!’.

Direto do Jardim Casqueiro, em Cubat√£o, a escola chegou trouxe 1.500 componentes para convocar todos os nordestinos presentes na arquibancada a cantar o samba-enredo inspirado por uma de suas can√ß√Ķes mais marcantes: ‚ÄėFeira de Mangaio‚Äô, de Sivuca e Glorinha Gadelha, eternizada na voz de Clara Nunes.

Em meio √† folia, ‘cangaceiros’ e componentes vestidas de baianas – remetendo ao cl√°ssico traje com turbantes e saias – deram um toque a mais √† apresenta√ß√£o com carisma e um gingado √ļnico, acompanhando carros aleg√≥ricos que faziam refer√™ncia √† cultura regional.

Unidos dos Morros 

Foto: Prefeitura de Santos

A atual campe√£ do Carnaval de Santos trouxe uma atra√ß√£o de outro planeta. Uma invas√£o alien√≠gena foi avistada na passarela na madrugada deste domingo (4). A escolas apresentou seres verdes de um planeta desconhecido.¬†Ao fundo, j√° se via uma serpente cuspindo fuma√ßa cinza. Essa era a base do enredo “L√° em Peru√≠be, reza a lenda que..”, em refer√™ncia √† cidade do Litoral Sul.

A agremia√ß√£o se apresentou com 1.100 componentes, divididos em 12 alas e tr√™s alegorias. Um dos destaques foi a ala que remeteu √† lama negra, conhecida por seus poderes medicinais.¬†Tamb√©m n√£o faltaram refer√™ncias √†s tradi√ß√Ķes da cultura ind√≠gena e √†s ru√≠nas que se revelam em meio √†s belas paisagens.

Mocidade Amazonense 

Fotos: Vinícius Farias / Mais Santos

“Quando olhei a terra ardendo / Qual fogueira de S√£o Jo√£o / Eu perguntei a Deus do c√©u, ai / Por que tamanha judia√ß√£o?”. A letra do bai√£o de Luiz Gonzaga deu in√≠cio √† festa da Mocidade Amazonense, que contou uma vers√£o do casamento entre Maria Bonita e Lampi√£o na passarela.

Com o enredo ‘Um dia pra l√° de arretado’, a representante de Guaruj√° trouxe um pouco do Nordeste ao p√ļblico que admirava com euforia o desfile.

Em busca do terceiro t√≠tulo na categoria ‘especial’, a agremia√ß√£o reuniu ‘cangaceiros’ na comiss√£o de frente, que apresentaram uma coreografia sincronizada e cheia de energia, acompanhados tamb√©m de outros personagens marcantes da cultura, como Padre C√≠cero e Mestre Vitalino.

Sangue Jovem

Fotos: Vinícius Farias / Mais Santos

A Sangue Jovem entrou com o enredo ‚ÄėA esperan√ßa na f√© que move montanhas‚Ķ A Sangue Jovem vai na f√©!‚Äô, abordando a cren√ßa como um s√≠mbolo da verdade, da confian√ßa e da devo√ß√£o.

Propondo um “samba em ora√ß√£o”, e com uma imagem de Cristo aben√ßoando a escola e o p√ļblico, a escola explorou o tema em suas diversas manifesta√ß√Ķes e buscou mobilizar seus componentes – um time de 1.200 devotos, dividido em 15 alas em tr√™s carros aleg√≥ricos – para ‚Äėmover montanhas, superar o imposs√≠vel e realizar a miss√£o de triunfar na avenida.

Brasil 

Fotos: Vinícius Farias / Mais Santos

Coube a Brasil encerrar os desfiles do Santos Carnaval 2024, que reuniu dez mil pessoas em cada dia. A escola permitiu levar o p√ļblico a uma viagem a v√°rias partes do mundo enquanto apresentava o enredo ‚ÄėA Brasil traz os grandes imp√©rios, nas garras do tigre paulistano‚Äô.

A agremiação contou sobre os impérios que marcaram a história da humanidade e ampliou sua narrativa para o mundo do Carnaval, homenageando também uma das grandes escolas paulistanas: a Império da Casa Verde.

O primeiro desembarque foi no Egito, com tom dourado em pir√Ęmides e figurinos de fara√≥s encantando o olhar da arquibancada; a China foi marcada por componentes usando o tradicional chap√©u chamado de ‘kasa’; a caravela portuguesa partiu junto √† marcha de persas, czares e os imponentes pilares gregos, que fecharam o desfile ao som da letra de afirma√ß√£o “nossas bandeiras unidas em um s√≥ cora√ß√£o”.

Fotos: Vinícius Farias / Mais Santos