PUBLICIDADE

Santos / Porto

Acidente com navio reacende debate sobre ligação seca entre Santos e Guarujá

Da Redação

O grave acidente ocorrido neste domingo (20), quando um navio de grande porte colidiu e destruiu atracadouro de balsas causando a interrupção de travessia Santos-Guarujá, reforçou a necessidade de agilidade na definição sobre uma ligação seca entre as duas cidades.

Enquanto o Governo do Estado √© a favor de uma ponte, o projetro de um t√ļnel tamb√©m recobra sua for√ßa. O Minist√©rio da Infraestrutura apresentar√° uma decis√£o sobre a obra, ponte ou t√ļnel, at√© setembro.

Segundo o conselheiro da Associa√ß√£o de Engenheiros e Arquitetos de Santos e porta-voz da Campanha Vou de T√ļnel, Eduardo Lustoza, o projeto do t√ļnel imerso √© o √ļnico que atende e cobre todas as quest√Ķes relacionadas √† seguran√ßa, pois n√£o cria uma barreira f√≠sica no canal de navega√ß√£o.

Lustoza, que √© consultor portu√°rio h√° 40 anos, explica que uma ponte na regi√£o aumentaria o risco de acidentes, j√° que pode prejudicar a manobrabilidade dos navios e causar colis√Ķes nas √°reas de manobra”.

“Por sorte, a balsa n√£o estava carregada de pessoas e nem de ve√≠culos, o que poderia significar uma trag√©dia com consequ√™ncias s√©rias para o armador e, principalmente, para a popula√ß√£o da Baixada Santista. Se existisse um pilar de uma ponte no trajeto deste navio, ou atingisse um outro navio petroleiro, a trag√©dia teria dimens√Ķes maiores e poderia interromper a navega√ß√£o no principal porto do pa√≠s, com preju√≠zos severos para a opera√ß√£o do Porto de Santos”, defende Lustoza.

De acordo com ele, o servi√ßo de balsas voltado para passageiros e ciclistas s√£o embarca√ß√Ķes lentas que operam na curva do canal e deve ser imediatamente substitu√≠do pelo t√ļnel imerso, especialmente, pela quest√£o da seguran√ßa dos usu√°rios, mas tamb√©m por promover a inclus√£o social e sustentabilidade ambiental e econ√īmica. “Al√©m de mais seguro, a escolha deste modal promove a mobilidade urbana j√° que permite a integra√ß√£o de ciclovias e conta com uma via exclusiva para o Ve√≠culo Leve sobre Trilhos, reduzindo o tempo de deslocamento com o transporte p√ļblico”, explica.

O engenheiro naval e ex-presidente da Autoridade Portu√°ria de Santos, Casemiro T√©rcio de Carvalho, lembra que a experi√™ncia internacional atesta que a liga√ß√£o seca nos portos do mundo √© imersa. “N√£o existe ponte em rota de navega√ß√£o nos principais portos espalhados pelo globo. In√ļmeros s√£o os exemplos de pa√≠ses que t√™m apostado na constru√ß√£o de tuneis em detrimento de projetos considerados obsoletos do ponto de vista da seguran√ßa e que inviabilizam a passagem de navios maiores”, completa.

Segundo Carvalho, o projeto do t√ļnel imerso entre Santos e Guaruj√° √© a √ļnica op√ß√£o vi√°vel para a liga√ß√£o seca entre os munic√≠pios e que segue as recomenda√ß√Ķes da PIANC (Associa√ß√£o Mundial de Infraestrutura de Transporte Mar√≠timo) que indica a liga√ß√£o via t√ļnel como a melhor alternativa.

O presidente da UVEBS (Uni√£o de Vereadores da Baixada Santista), vereador Betinho Andrade, lamentou o acidente que destruiu um atracadouro na margem esquerda (Guaruj√°) do Porto de Santos e tamb√©m defendeu o t√ļnel imerso como a melhor alternativa para a liga√ß√£o seca √†s margens do maio porto da Am√©rica Latina. “√Č inadi√°vel a liga√ß√£o seca entre Santos e Guaruj√° e a √ļnica op√ß√£o √© via t√ļnel”, afirmou. “Imagine se tiv√©ssemos uma ponte ali”, completa.

Ponte

A ponte, projetada pela Ecovias, tem 7,5 quil√īmetros de extens√£o, com in√≠cio da entrada de Santos e t√©rmino pr√≥ximo ao acesso √† Ilha Barnab√©, na √Ārea Continental de Santos. Em outubro do ano passado, a¬†Secretaria de Log√≠stica e Transporte de S√£o Paulo entregou para o Governo Federal,¬† o novo projeto da liga√ß√£o seca entre as margens do Porto de Santos, executado pela Ecovias.

A pedido da Autoridade Portu√°ria e dos demais √≥rg√£os envolvidos, a concession√°ria desenvolveu uma alternativa de projeto, com reposicionamento e aumento da dist√Ęncia entre os pilares.

A altera√ß√£o resultou num v√£o principal de 750 metros ‚ÄĒ que se tornar√° o maior da Am√©rica Latina ‚ÄĒ e com altura de 85 metros a partir do n√≠vel do mar. As medidas eliminam qualquer interfer√™ncia operacional atual e tamb√©m com as amplia√ß√Ķes de projetos futuros do Porto.

Foto: Reprodução